PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com turbulências, Copa América fecha com prejuízo de R$ 78 milhões

Neymar e Messi se abraçam na final da Copa América - Wagner Meier/Getty Images
Neymar e Messi se abraçam na final da Copa América Imagem: Wagner Meier/Getty Images
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

17/08/2021 04h00

A Copa América gerou um prejuízo em torno de US$ 15 milhões (cerca de R$ 78,9 milhões) para a Conmebol. O número ficou dentro do esperado pela confederação por conta da série de problemas enfrentada pela competição. Não houve público, troca de sede de última hora, fuga de patrocinadores.

Mas, no final da linha, a Conmebol conseguiu seu objetivo: evitar um buraco bem maior sem a realização da competição. A receita prevista para a Copa América era em torno de US$ 110 milhões, com despesas do mesmo nível. Esse era o esperado para a realização do torneio na Argentina e na Colômbia.

Com o avanço da pandemia de coronavírus, os dois países desistiram de ser sede, Uma articulação da CBF e da Conmebol com o governo federal levou o torneio para o Brasil. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu apoio explícito à competição.

A transferência já causou perdas à Conmebol, pois já tinham sido feitos investimentos nos dois países originais. Não foi possível ter público, o que gerou mais de um terço da renda na Copa América 2019, no Brasil. Além disso, patrocinadores da competição não quiseram anunciar no país, embora não tenham rescindido o contrato.

Para organizar o torneio no Brasil, foi adotado um número reduzido de sedes por economia. Outras medidas foram tomadas para reduzir ao máximo os custos. Com isso, o prejuízo ficou no patamar mais baixo dentro das estimativas da Conmebol.

Em reunião na semana passada, a entidade também discutiu medidas para aumentar as rendas para a Libertadores, com a atração de mais patrocinadores. Um dos pontos discutidos em relação às regras foi o fim do gol diferenciado nos mata-matas. Essa medida já vem sendo debatida na Conmebol e deve ser votada até o final do ano. A CBF é favorável à mudança.

Rodrigo Mattos