PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fifa vai votar se realiza estudo por Copa do Mundo a cada dois anos

Taça da Copa do Mundo (Betina Humeres/ BD) - Reprodução / Internet
Taça da Copa do Mundo (Betina Humeres/ BD) Imagem: Reprodução / Internet
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

18/05/2021 16h47

O Congresso da Fifa vai votar a realização de um estudo para organizar a Copa do Mundo a cada dois anos, em vez de quatro anos. A proposta é da Federação de Futebol saudita e entrou na agenda do encontro. Se houver aprovação por maioria, seria dado o primeiro passo para o projeto.

Há diversas discussões no âmbito da entidade atualmente relacionadas a mudanças no calendário do futebol, aumento de Liga dos Campeões, novo Mundial de clubes e torneio de seleções.

Neste cenário, o chefe global para desenvolvimento do futebol na Fifa, Arsène Wenger, defendeu que Copa do Mundo e Euros fossem organizados a cada dois anos. Sua posição era de excluir competições pouco importantes como a Copa das Nações da Europa. E dar a chance de jogadores ganharem mais Copas. "Por isso que nós talvez devêssemos organizar a Copa a cada dois anos", disse o ex-técnico do Arsenal em entrevista à TV BeIN.

Pois bem, a Federação de futebol Saudita fez a proposta de dar o primeiro passo neste sentido. A entidade é próxima politicamente do presidente da Fifa, Gianni Infantino. Mas o dirigente ainda não se posicionou sobre o tema, nem a favor, nem contra.

A Copa do Mundo já teve um aumento de participantes na gestão de Infantino. O número passou de 32 para 48 seleções, o que valerá a partir da edição de 2026 nos EUA, México e Canadá. A expansão foi aprovada em votação das federações com apoio do dirigente. Inicialmente, houve um estudo por parte da Fifa como o que é pedido pelos sauditas sobre a redução da frequência da Copa.

Uma proposta de Copa a cada dois anos deve provocar resistência por parte de clubes e ligas nacionais. Há uma disputa por espaço no calendário. A votação sobre o tema será na sexta-feira, dia do Congresso.

Rodrigo Mattos