PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ex-CEO do Flamengo quer replicar recuperação financeira em outros clubes

Fred Luz, ex-CEO do Flamengo - PAULO CARNEIRO/ESTADÃO CONTEÚDO
Fred Luz, ex-CEO do Flamengo Imagem: PAULO CARNEIRO/ESTADÃO CONTEÚDO
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

05/03/2021 04h00

Ex-CEO do Flamengo Fred Luz, que atuou na reestruturação financeira do clube na gestão de Eduardo Bandeira de Mello, passou a integral os quadros da consultoria Alvarez & Marsal. Explica-se: a consultoria abriu um setor de esportes justamente para lidar com clubes com problemas financeiros, entre outros pontos do mercado de esporte. É a mesma empresa que contratou o ex-ministro da Justiça e juiz Sério Moro.

Em uma entrevista ao blog, Fred Luz explica que o departamento de esportes da consultoria foi criado porque se identifica a possibilidade de crescimento do setor no mundo. O foco será em clubes, em entidades e em empresas de mídia que precisem de auxílio na gestão, seja no futebol como em outros esportes. A intenção é fazer parcerias para receber junto com a recuperação de eventuais entidades em dificuldade financeira. A transformação de clubes em empresa também está no escopo dos serviços da consultoria.

O primeiro projeto em que Luz atuará é no Figueirense. O clube estabeleceu uma parceria com a empresa para se reestruturar.

Blog: A Alvarez & Marsal atuaria como consultoria nesses processos de estruturação de clubes, entidades de esportes?

Fred Luz: É a maior companhia dos EUA na área de consultoria. Trabalha muito com renegociação de dívida, reestruturação. Faz também gestão interina. Quando é necessária, entra em campo junto. Coloca executivos contratados por ela e ajuda a formar gente da instituição para que siga sozinha.

Blog: A entrada neste mercado tem relação com a percepção de que há interesse de capital de fora no mercado brasileiro?

Fred Luz: Tem interesse nessa aproximação do capital com o futebol. Junto desse interesse, tem uma enorme desconfiança no ambiente. Por que esse mercado não está atraindo tanto capital porque não está estruturado. A lei pode permitir regras de governanças. Quem participa quer saber da capacidade de pagar do clube.

Blog: É possível fazer reestruturações com clubes como associação civil ou é necessário se tornar clube-empresa?

Fred Luz: Pode funcionar para poucos clubes esse modelo associativo, como Real e Barcelona. Não é sustentável a longo prazo. Você fica muito vulnerável à troca das administrações. Vemos clubes que foram muito bem e perderam o modelo. O próximo mandatário não cuidou da administração. Agora tem empresa que é mal gerida. Empresa como Alvarez dá essa qualidade e estruturação. Tem que discutir os estatutos internos, gestão e estruturação. A questão da governança precisa ter garantias de continuidade. Quem dirige são os presidentes e mandatários.

Blog: O Flamengo tinha a vantagem de receita maior do que outros clubes na sua reestruturação. A fórmula funciona em outros clubes?

Fred Luz: A grande maioria dos clubes brasileiros está muito aquém da capacidade de receita deles. Eles praticam uma irresponsabilidade fiscal que leva ao endividamento. Não dão atenção ao básico. Está com um doente grave e você tem que suturar o problema. Agora, se não parar de se alimentar mal, vai ficar doente de novo. Um exemplo para mim é o Athletico-PR que não tem capacidade de receita tanto grande, mas está bem no ranking do futebol porque teve disciplina.

Blog: Quanto tempo demora para reestruturar o clube?

Fred Luz: Você pode rapidamente colocar uma equipe competente dentro do clube. Em um mês, consegue. Tem que mapear o que é essencial, você mapeia em um mês, demora uns três meses para tirar esse mato alto e avaliar os projetos de curto e longo prazo, quais são os projetos estruturantes. Você não tem recursos para tocar. Quando você tem uma visão clara, foi o que ocorreu no Flamengo, você tem mais apetite para investir no que pode gerar receita ao invés de tentar ganhar o próximo campeonato. O Flamengo ganhou R$ 900 milhões no ano de 2019. Quando mapeamos em 2013, chegamos à conclusão que poderia chegar a R$ 2 bilhões. A receita de 2013 foi de R$ 212 milhões. Os clubes do Rio têm isso. Muita coisa dá para fazer rapidamente, demandas da estruturação da dívida, patrocinadores que têm a ver com o governo precisam das certidões, patrocinadores da área privada querem uma governança responsável que possam ver a causa e efeito.

Blog: O futebol representa 0,7% da economia brasileira, segundo levantamento feito para a CBF. É possível crescer o tamanho deste mercado?

Fred Luz: Tem perspectiva de crescimento dentro do mercado. A tendência com tecnologia [é que] se desenvolva, que as pessoas cada vez mais tenham qualidade de vida, a questão da fome esteja erradicada. E ao mesmo tempo, trabalhando menos e sobrando mais tempo para esporte e entretenimento, vê se um drive de crescimento no mundo do esporte. Estamos defasados na gestão dos clubes. Vejo a oportunidade de estar muito maior no mercado. Agora que o Brasileiro é vendido para o exterior, vemos muitas oportunidades. Além dessa questão do mercado, pode vir de capital de fora. Empresas brasileiras podem se tornar mundiais se puderem se estruturar. Veja o exemplo de cervejaria [fala da Ambev].

Blog: Já tem projetos em andamento da Alvarez & Marsal?

Fred Luz: Temos um cliente que começou antes de eu entrar. O Figueirense, a empresa está lá ajudando a organizar. Esse trabalho de entrada para colaborar para aprender. Essa experiência animou a criar a área. Animou para falar contigo. Fui lá uma vez. Estou participando indiretamente. Vou participar.

Rodrigo Mattos