PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Conmebol não descarta público na final da Libertadores a depender do Brasil

Maracanã antes de Flamengo x São Paulo pelo Brasileirão - Reprodução/Twitter
Maracanã antes de Flamengo x São Paulo pelo Brasileirão Imagem: Reprodução/Twitter
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

25/11/2020 06h00

A Conmebol já fechou questão que a Libertadores não terá público até a semifinal em meio à pandemia do coronavírus. Mas a entidade ainda deixa em aberto a discussão sobre a final da competição no Maracanã. Dependerá da decisão de autoridades brasileiras.

Desde o início, a diretriz da confederação sul-americana previa a volta do futebol sem público para realizar a Libertadores e a Sul-Americana. Foram estabelecidos protocolos para evitar que jogos da competição provocassem o aumento da contaminação por CoviNem sempre houve sucesso já que ocorreram surtos nos times como foi o caso do Flamengo e do Del Valle na fase de grupo. Mas os jogos continuaram e a avaliação da entidade até agora é de que o plano foi bem-sucedido para organizar a competição.

Ao mesmo tempo, a diretoria da Conmebol alimenta a esperança de ter público na final da Libertadores, marcada para o dia 30, no Maracanã. A decisão ficará nas mãos de autoridades brasileiras, no caso, o município e o governo do Estado do Rio de Janeiro.

Tanto a prefeitura quanto o Estado chegaram a aprovar a volta do público aos estádios no Brasileiro. Mas essas decisões nunca foram postas em prática de fato já que a CBF não permitiu o retorno de torcidas em seus competições.

No município do Rio, a questão fica pendente da eleição que tem o atual prefeito Marcelo Crivella (PR) e Eduardo Paes (DEM) no segundo turno. Crivella já mostrou favorável à liberação de torcida em estádios, mas Paes ainda não se posicionou sobre o tema.

Rodrigo Mattos