PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

SBT transmitirá Libertadores até final mesmo sem brasileiros, Globo evitava

Lucas Pratto comemora após marcar o gol de empate do River Plate - Rodrigo Jimenez/EFE
Lucas Pratto comemora após marcar o gol de empate do River Plate Imagem: Rodrigo Jimenez/EFE
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

30/10/2020 04h00

O SBT transmitirá a Libertadores 2020 até a final mesmo que os clubes brasileiros não se classifiquem até as fases mais avançadas. Essa condição consta no acordo da emissora com a Conmebol para garantir visibilidade à competição. Foi um trunfo já que a Globo não se comprometia com exibição de jogos decisivos sem times nacionais.

Pelos termos de seu acordo, a emissora carioca não mostrava finais que não envolvessem os brasileiros mesmo tendo direitos. Não exibiu Boca Juniors x River Plate, em 2018. Era uma condição da emissora que não havia obrigatoriedade de transmissão.

Quando a Globo optou pela rescisão do contrato, a Conmebol queria um acordo que aumentasse a visibilidade de patrocinadores e da própria Libertadores. Essas condições foram atingidas com o acordo com o SBT que exibe todos os parceiros da competição durante as transmissões.

Além disso, foi dada uma garantia de que o SBT transmitiria todas as 25 partidas a que tem direito em TV Aberta por edição. Esses jogos são espalhados por 19 rodadas incluindo a pré-Libertadores, fase de grupos, eliminatórias e final. Durante o período de grupos, são dois confrontos em TV Aberta por rodada.

Então, se nenhum time brasileiro chegar às semifinais, a emissora paulista continuará a passar os jogos com equipes estrangeiras. O mesmo vale para a decisão da competição que será em um final de semana de janeiro.

Antes do sorteio da segunda fase da Libertadores, a Conmebol divulgou um vídeo em que seu presidente, Alejandro Dominguez, lamenta rompimentos de contratos como o executado pela Globo. E ressalta que tomou medidas para garantir que o público continuasse a assistir à Libertadores:

"Tivemos empresas que romperam acordos unilateralmente, prejudicando assim também as finanças projetadas e postas no orçamento para esse ano. Mas resolvemos bem esse inconveniente porque salvaguardamos duas coisas primordiais: 1) que isso não vai afetar de nenhuma forma as rendas que estão previstas para os clubes e o que, por consequência, serão divididas como prêmios e por apresentação para os jogadores 2) que audiência continuará desfrutando do melhor futebol do mundo", disse o dirigente no vídeo.

Recentemente, executivos da Globo foram à Conmebol para conversar com a Conmebol e melhorar a relação, como mostrou o blog de Danilo Lavieri.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do que foi informado, Grêmio x Lanús não foi a primeira vez que a Globo passou um jogo de um time que não era do eixo Rio-SP na decisão da competição continental. O erro foi corrigido.

Rodrigo Mattos