PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Após indicar que não adiaria, CBF avalia situação de Palmeiras x Flamengo

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

23/09/2020 15h36

*Post atualizado às 20h40 após novos casos de Covid do Flamengo que mudaram situação

Após o pedido de adiamento do Flamengo por jogadores infectados por Covid, a CBF apontou inicialmente que o jogo do time contra o Palmeiras iria ocorrer no domingo como marcado. Foi a informação dada pelo secretário-geral da confederação, Walter Feldman, ao blog. Mas o aumento dos casos de coronavírus no time - que já tinha 17 infectados no elenco além do técnico Domenec - levou a confederação fazer nova avaliação médica para saber se realiza a partida. Ainda não há uma decisão tomada.

De início, Feldman afirmou que a partida só não ocorreria se o clube rubro-negro não tivesse um número mínimo de jogadores no seu elenco para atuar. Há 40 jogadores inscritos no Brasileiro.

Até ali o Flamengo tinha 10 jogadores infectados. Sete deles foram detectados em testes na viagem para O Equador para enfrentar o Barcelona. Outros três tiveram testes positivos no retorno, Rodrigo Caio, Renê e Gabriel Batista. A posição de Feldman foi externada após a confirmação desses três infectados.

Com o aumento de casos no time e na delegação, a CBF decidiu por uma conversa entre departamentos médicos da entidade e do Flamengo para avaliar situação. A prioridade é saber se haverá chance de aumentar a propagação de coronavírus com a partida. Depois disso, serão levados em conta aspectos técnicos como se o time tem jogadores no elenco para atuar.

Antes disso, ele dissera o mesmo à Rádio Bandeirantes: "Nós recebemos o pedido ontem à noite, mas o jogo deve acontecer. Quando o clube tem infectados, os jogadores são separados e o time continua jogando. Só adiaria a partida se eles não tivessem a quantidade mínima para entrar em campo, não é o caso", afirmou Feldman.

A CBF não definiu um número mínimo de atletas do elenco como necessário para realizar a partida. É uma avaliação caso a caso como foi feita em outros casos como jogos do Goiás. O princípio é que, se o time tem jogadores suficientes para entrar em campo e alguns reservas, a partida não deve ser adiada. O único adiamento na Série A foi uma partida entre Goiás e São Paulo, no qual a equipe goiano teve nove jogadores com exames positivos.

Não há dentro do protocolo da CBF um número de infectados que determine o adiamento do jogo.

Rodrigo Mattos