PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

Por Carioca, Globo 'adianta' R$ 30 mi ao Botafogo e exige apoio contra Ferj

Vítor Silva/Botafogo
Imagem: Vítor Silva/Botafogo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

15/09/2020 04h00

A Globo e os três grandes clubes cariocas Vasco, Fluminense e Botafogo chegaram a um acordo sobre a rescisão do contrato do Carioca. Pelo documento de rompimento obtido pelo blog, o time alvinegro de General Severiano receberá R$ 15 milhões extras. além disso, terá o direito a antecipar mais R$ 29,6 milhões em cotas pelos direitos do Brasileiro.

Em troca, o Botafogo dá quitação do contrato do Carioca que iria até 2024 e pelo qual receberia em torno de R$ 80 milhões. Adicionalmente, o time alvinegro se comprometeu a apoiar a Globo em ação judicial da Ferj por cobranças relacionadas ao acordo. Esse ponto claramente deixou a Ferj contrariada com os grandes clubes.

O imbróglio relacionado ao Campeonato Carioca se desenrolou em junho e julho em uma disputa entre o Flamengo e a Globo. Sem contrato, o clube rubro-negro usou a MP do Mandante para transmitir seus jogos em casa. A Globo alegou quebra de sua exclusividade e rompeu o acordo do Carioca com todos os times: alegava que havia brecha para o rompimento pela transmissão rubro-negra.

Mas, enquanto a Ferj foi à Justiça, a Globo negociou um acordo com os três grandes clubes Carioca. A rescisão do Botafogo foi assinada no início de agosto.

Pelos seus termos, a emissora pagará R$ 15 milhões ao clube alvinegro até 15 de dezembro pela rescisão. Além disso, a Globo iria antecipar R$ 20 milhões do contrato do Brasileiro para o Botafogo, em valores que só serão descontados em 2022. Diz que o faz por "boa fé" para apoiar o futebol carioca em um momento delicado.

Fora isso, a emissora ainda aceita dar uma garantia para o Botafogo fazer uma cessão de crédito para uma instituição bancária usando as cotas do Brasileiro de 2020 e 2021. Com isso, o clube pode levantar mais R$ 9,6 milhões em adiantamentos.

Para completar, o Botafogo tem direito a R$ 2,1 milhões referentes à conclusão do contrato do carioca de 2020. Só que o dinheiro foi integralmente destinado ao BMG que já tinha permitido a antecipação do dinheiro.

Como consequência, a Globo e o Botafogo consideram extinta qualquer obrigação entre as partes referentes ao Carioca. Mais do que isso, o clube alvinegro se compromete a se manifestar em juízo dizendo que o contrato já está quitado em qualquer demanda feita pela Ferj. A entidade estadual está processando a Globo pedindo inclusive arresto de seus bens. Diz a cláusula da rescisão:

"O clube reconhece que a proposta está rescindida com quitação mútua e recíproca, sendo certo que, caso seja instado pela Globo a se manifestar em juízo, se manifestará no sentido de garantir que a Ferj não cobre da Globo em juízo os valores que seriam devidos ao clube caso a proposta estivesse vigente ou a parte que caberia ao clube em eventual indenização pela recisão da proposta, se obrigando, a caso seja intimada a se manifestar pelo juízo competente, peticionar em eventual ação judicial para informar ao juízo que a Ferj nada pode postular contra a Globo em nome do clube ou em nome próprio por eventual interesse do clube, sob pena de ter que devolver integralmente os valores pagos pela Globo nesta transação, corrigidos pelo IPCA."

Após a publicação da matéria, o presidente da Ferj, Rubens Lopes, manifestou-se contrariado com o acordo: "A Ferj não se opõe à TV, nada tem contra um parceiro de décadas e não é difícil entender sua posição. Quanto aos clubes talvez tenha cometido o equívoco na avaliação do interesse de alguns e na expectativa do comportamento dos mesmos. Cada um deve ter seus motivos e a história de 30 moedas não é nova. Alguns causam decepção e outros não surpreendem como no conhecido caso do sapo e o escorpião. Não existe vacina para isso e o mais importante é a perenidade do futebol do Rio de Janeiro. Acredito num ponto de convergência em algum momento."

O Botafogo também já se manifestara em favor da Globo em processo contra a Turner relacionado ao Brasileiro. Foi um dos sete clubes que assinaram uma carta padrão informando que venderam os direitos de transmissão como mandantes e visitantes para a emissora. Além disso, o clube não entrou no movimento em favor do MP do Mandante que reúne outros 12 clubes da Série A - a nova legislação é contrária aos interesses da Globo.

O blog apurou que há condições similares nos princípios nos acordos entre Fluminense e Vasco, embora não tenha sido possível saber detalhes desses contratos de rescisão. Cada um dos clubes tem também uma especificidade de adiantamento com a Globo.

Questionado sobre o acordo de rescisão, o Botafogo informou que não iria comentar. A Globo também afirmou que não falaria sobre uma questão sub judice.

Blog do Rodrigo Mattos