PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

Brasileiro: falta de torcida reduz vantagem de mandantes, mas não a anula

Bruno Ulivieri/AGIF
Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

12/09/2020 04h00

A disputa do Brasileiro sem torcida por conta da epidemia do coronavírus gera a possibilidade de se testar o impacto dessa ausência nos resultados. Com uma amostragem de 9 rodadas, é possível dizer que, sim, houve uma queda de desempenho dos mandantes. Mas o fator casa não foi anulado como se esperava e atuar no próprio estádio continua a ser uma vantagem.

Para chegar a essa conclusão, é preciso ir além de apenas determinar se os donos da casa continuam a ganhar mais jogos. É necessário comparar com o desempenho anterior na Série A. Para isso, foram usadas as estatísticas do site "sr gooool" que tem uma planilha com números completos das últimas edições da competição.

Bem, nos 85 jogos até agora, os times donos da casa venceram 36 jogos (ou 42,3% do total). Houve 20 vitórias dos visitantes (28,2%) e o restante foi de empates. Isso representa em torno de um quinto do Brasileiro, ou seja, já dá para ter uma ideia sobre o efeito da ausência de torcedores.

Nos últimos dez anos do Brasileiro, os mandantes venceram 49% dos jogos, praticamente metade. Assim, houve uma redução que pode ter impacto no campeonato, mas está longe de ter anulado o efeito casa. Para se ter ideia, o Nacional de 2017 tem um percentual de vitórias dos donos da casa próximo ao atual.

Em relação às vitórias dos visitantes, também houve uma melhoria de desempenho. A média nos últimos dez anos foi de 23,5% vitórias, isto é, houve um crescimento nos triunfos daqueles que jogam fora. De novo, só no Brasileiro de 2017 se verificou uma estatística próxima.

Houve também um leve aumento nos empates que chegaram a 29,4%, pouco mais de 2% acima da média no Brasileiro.

Mas, no geral, esperava-se que o fator campo fosse simplesmente anulado com a falta de torcida. Não foi o que aconteceu até agora. Aparentemente, o campo tem também um peso no resultado.

Blog do Rodrigo Mattos