PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

Governo de SP dá aval a Corinthians sem teste, e Palmeiras sem concentração

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

04/08/2020 17h17

O governo do Estado de São Paulo referendou os procedimentos de Corinthians e Palmeiras em relação à prevenção de coronavírus anteriormente à final do Paulista. A posição foi dada após consulta do blog. Ou seja, o time do Parque São Jorge não precisa fazer testes antes da decisão se tiver os jogadores concentrados e a equipe alviverde pode liberar atletas do confinamento se realizar exames de Covid posteriormente.

Essa posição do governo do Estado coincide com a da Federação Paulista de Futebol. Pelo protocolo da entidade, os clubes teriam de realizar testes antes do reinício do Paulista e depois manter os jogadores concentrados.

Em reunião na segunda-feira, o Corinthians informou que não faria testes antes da primeira final porque atletas estavam confinados. O Palmeiras, por sua vez, estava liberando atletas e realizando testes depois. Em nota, a FPF diz que ambos estavam corretos.

Questionado pelo blog sobre os procedimentos, o governo de São Paulo deu aval: "A Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo informa que o protocolo de retorno elaborado pelo Comitê Médico da Federação Paulista de Futebol (FPF) prevê que sejam realizados testes na chegada à concentração. A realização de novos testes é recomendada quando o atleta é liberado entre os jogos. Quando o clube opta pelo confinamento da equipe, esse protocolo não é necessário."

Blog do Rodrigo Mattos