PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

CBF e clubes protelam solução para conflito entre Brasileiro e Copa América

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

08/03/2020 04h00

Desde o anúncio do calendário do futebol de 2020, há um bode na sala do futebol brasileiro: chama-se Copa América. Foi posto lá pela CBF que construiu um cronograma de jogos em que dez rodadas do Brasileiro da Série A, principal competição do país, são coincidentes com datas oficiais da seleção. Ou seja, times podem perder jogadores importantes por mais de um quarto do campeonato. E até agora nada foi feito ou dito para resolver o problemaço.

Na entrevista coletiva da primeira convocação do ano, o técnico da seleção Tite foi evasivo sobre qual solução vai adotar para o torneio sul-americano. "Projetando três meses a frente, ela (a resposta) se esvaia. Tudo que vemos agora pode sair pelo momento técnico. No momento oportuno, vou te responder", afirmou ele, sobre a possibilidade de o Flamengo perder três jogadores, número de convocados para as eliminatórias - neste caso, os desfalques serão por um jogo irrelevante de Estadual.

Antes disso, houve um Conselho Técnico da Série A em que se discutiram as regras do Brasileiro. Nenhum clube ou a CBF colocaram a questão. Presidentes de Palmeiras e Grêmio, Maurício Galiotte e Romildon Bolzan Jr., admitiram que haverá prejuízo em caso de convocação, mas que o assunto não foi levantado. A CBF entende que é cedo para discutir o tema.

Bom, quando será a hora então de debater o tema? Quando sair a convocação com três jogadores de um time e este perder todo seu setor ofensivo por 10 jogos? Quando Tite for atacado pela opinião pública e quando dirigentes atacarem a confederação? Por que não se antecipar logo e criar uma instrução clara para lidar com a questão?

No Conselho Técnico, a CBF acertou em cheio quando sugeriu o fim da venda de mando de campo, e os clubes forem bem ao aprovar a medida. Isso provocava um desequilíbrio no campeonato quando um time jogava com torcida a favor quando deveria ser visitante.

Mas tirar jogadores essenciais para um clube por dez rodadas não é um desequilíbrio do Brasileiro também? Por que há preocupação com uma medidas que afeta o aspecto técnico da competição e a outra é ignorada? Será que quando o interesse da CBF, no caso de ter os melhores na seleção, é afetado então não precisa se pensar no prejuízo no campeonato?

A realidade é que todas as condições do problema já estão postas. Há um conflito de datas, o técnico da seleção quer levar os melhores jogadores para montar um time, e há jogadores de times nacionais que estão entre os alvos do grupo. Empurrar com a barriga essa situação parece indicar que não se quer dar solução nenhuma, apenas adiar a contar amarga que será apresentada daqui a uns meses.

Blog do Rodrigo Mattos