PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos


Conflito: Juninho era sócio do Ituano enquanto diretor da CBF para Série D

Juninho Paulista, coordenador de seleções masculinas, durante treino do Brasil em Miami - Lucas Figueiredo/CBF
Juninho Paulista, coordenador de seleções masculinas, durante treino do Brasil em Miami Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

18/02/2020 12h50

Atual diretor de seleções, o ex-jogador Juninho Paulista era sócio de empresa que geria o Ituano ao mesmo tempo que ocupava cargo de diretor da CBF com responsabilidade sobre Brasileiro da Série D, disputado pelo time do interior. É o que mostram os documentos das empresas ligadas ao ex-jogador. Neste campeonato, o Ituano subiu para a Série C depois de 12 anos.

A "Agência Sportlight" revelou que que Juninho Paulista mantém vínculo com a empresa JP Gerenciamento de Futebol até hoje: é usufrutuário e portanto pode ficar com parte dos ganhos. A companhia é uma das responsáveis pela gestão do futebol do Ituano. Atualmente, o dirigente não atua mais na gestão da JP Gerenciamento.

Há um potencial conflito de interesses, mostrado pela "Agência Sportlight", relacionado ao seu cargo na seleção e lucros com jogadores do Ituano. É o caso de Gabriel Martinelli, vendido pelo clube paulista ao Arsenal e que agora interessa à seleção brasileira. O Ituano pode lucrar com sua revenda pelo mecanismo de solidariedade.

Esse conflito se estendeu a gestão da Série D. Para isso, é preciso entender a cronologia dos fatos. Antes de chegar à CBF, Juninho já era sócio da JP Gerenciamento de Futebol e gestor do futebol do Ituano. Em nove de abril de 2019, ele é anunciado no cargo de diretor de desenvolvimento da CBF. Afirmou, na ocasião, que se desligaria do clube.

Estão sob a responsabilidade deste cargo projetos relacionados a legado que incluem projetos sociais e as Séries C e D do Brasileiro. Há também uma diretoria de coordenação da Série D ocupada por André Pitta. A tabela é feita pelo departamento de competições da CBF. Mas a diretoria de desenvolvimento tem, sim, influência sobre os dois campeonatos.

Reprodução
Imagem: Reprodução
Reprodução
Imagem: Reprodução

Em maio de 2019, o Ituano começa a disputar a Série D. Juninho só deixa oficialmente o cargo de gestor do Ituano em 17 de junho por meio de documento da Dimache Participacões, que tem como sócia a empresa JP Gerenciamento. O documento é válido na Junta Comercial só a partir de agosto. O novo gestor do Ituano passa a ser Paulo Silvestri, mas Juninho continua sócio da JP.

Reprodução
Imagem: Reprodução
Reprodução
Imagem: Reprodução
Reprodução
Imagem: Reprodução
Reprodução
Imagem: Reprodução

No dia 8 de julho, o ex-jogador deixa a diretoria de desenvolvimento para ocupar o cargo de diretor de seleções. Portanto, por três meses, ele atuou na gestão da Série D, competição que era jogada pelo Ituano, clube do qual era sócio na gestão. O Ituano é eliminado na semifinal da Série D pelo Brusque, mas garante a vaga na Série C depois de 12 anos.

Como diretor de seleções, Juninho seguiu sócio da JP Gerenciamento até novembro. Aí há uma alteração de contrato na empresa pela qual o ex-jogador sai para a entrada de Edney Arakakay que se torna o único sócio. O documento é registrado em dezembro de 2019 na Junta Comercial. A partir daí, Juninho se torna usufrutuário da empresa, isto é, ainda pode participar dos lucros.

Reprodução
Imagem: Reprodução

O Código de Ética da CBF veda que dirigentes acumulem direitos sobre clubes ou atletas enquanto exerçam seus cargos na entidade que pode ter influência sobre esses bens.

Questionada, a assessoria de Juninho e do Ituano informou que não comentariam o acúmulo de funções do ex-jogador. A CBF emitiu um comunicado dizendo que analisa a situação do dirigente e que ele se desligaria da JP Gerenciamento. Veja nota:

"A Confederação Brasileira de Futebol tomou conhecimento do caso e irá analisar internamente a situação. O coordenador da Seleção Brasileira, Juninho Paulista, comunicou à CBF que já protocolou seu desligamento completo da empresa a qual já havia deixado de ser administrador e sócio."

Cronologia do caso:

- 9/4/2019 - Juninho Paulista assume como diretor de desenvolvimento da CBF com participação em projetos para a Série D

- 4/5/2019 - Início da Série D com participação do Ituano

- 17/6/2019 - Por alteração contratual da Dimache Participações, Juninho deixa de ser gestor do Ituano substituído por Paulo Sivestri. Documento é registrado em agosto na Junta Comercial. O dirigente da CBF mantém-se como sócio da JP Gerenciamento que é sócia na gestão do clube

- 8/7/2019 - Vira diretor de seleções saindo da diretoria de desenvolvimento

- 4/8/2019 - Ituano encerra participação na Série D ao ser eliminado na semifinal pelo Brusque. Sobe à Série C depois de 12 anos.

- 14/11/2019 - Juninho deixa de ser sócio da JP Gerenciamento ao vender suas cotas. Mantém-se, no entanto, como usufrutuário com possibilidade de ficar com ganhos. Documento é registrado na Junta Comercial só em dezembro.

- 17/2/2019 - A Agência Sportlight revela que Juninho mantém ligação com empresa que gere Ituano e ele promete se afastar

Blog do Rodrigo Mattos