PUBLICIDADE
Topo

Após rusgas, Flamengo e Globo se reúnem, mas seguem sem acordo por Carioca

Bruno Henrique comemora gol do Flamengo sobre o Fluminense na Taça Guanabara - Thiago Ribeiro/AGIF
Bruno Henrique comemora gol do Flamengo sobre o Fluminense na Taça Guanabara Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

13/02/2020 18h02

No início da semana, Flamengo e Globo trocaram notas oficiais com alfinetadas relacionadas a falas do apresentador Faustão sobre o incêndio do CT do Ninho do Urubu. Era uma escalada da relação fria entre as partes desde a falta de acordo pelos direitos do Carioca. Nesta quinta-feira, dirigentes da emissora e do clube voltaram a se reunir e conversar sobre o contrato do Estadual, mas seguem sem acordo.

O contato foi retomado com a presença do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e executivos da Globo. Houve essa reaproximação, mas ainda não há uma nova proposta da emissora. A diferença entre ofertas é grande em torno de R$ 60 milhões - a Globo quer pagar a cota igual a de outros grandes, R$ 18 milhões.

A diretoria do Flamengo, no momento, descarta a ideia de fechar um contrato por um jogo pontual. A emissora não fez proposta neste sentido, mas cogitaria um modelo assim para jogos finais.

Sendo assim, os jogos rubro-negros do Carioca seguem sem transmissão. Já foi praticamente a Taça Guanabara inteira com sete jogos do Flamengo que tiveram apagão de TV, incluindo a semifinal com o Fluminense.

Blog do Rodrigo Mattos