PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos


Corinthians e São Paulo ganham menos em novo contrato com a Globo; entenda

PETER LEONE/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: PETER LEONE/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

17/01/2020 04h00

O novo modelo de contrato do Brasileiro da Globo gerou menos dinheiro para Corinthians e São Paulo do que os dois clubes esperavam durante o ano de 2019. Ambos os clubes atribuem a arrecadação mais baixa à queda no dinheiro do pay-per-view e ao número baixo de jogos exibidos na TV Aberta. A agremiação corintiana receberá menos do Flamengo no ppv.

A temporada passada teve a estreia do novo acordo da Globo com os clubes. Pelo critério de distribuição, os contratos de TV aberta e fechada são repartidos da seguinte forma: 40% iguais, 30% por número de transmissões e 30% por posição no campeonato. Já o ppv tem fatiamento pela pesquisa feita pela Globo, com alguns clubes com garantia mínima.

Em seu orçamento de 2020, o Corinthians informou ter recebido R$ 13 milhões a menos do que projetava no contrato do Brasileiro. Desse valor, R$ 6 milhões foram consequência de valores inferiores de ppv em relação à expectativa. Explicação no documento: arrecadação mais baixa da Globo com venda de pacotes.

O Corinthians, por contrato, tem uma garantia de valor mínimo a ser recebido pelo ppv. O blog apurou que o clube esperava obter um percentual no ppv maior do que essa garantia, o que não ocorreu. Conforme revelado pelo blog, o clube teve percentual de 12,2% dos assinantes de ppv. E a garantia mínima do Corinthians é inferior à do Flamengo que é de R$ 120 milhões (o próprio blog publicou que os valores eram iguais, mas estava errado).

Além do pay-per-view, o Corinthians estimou ter recebido R$ 7 milhões a menos no critério de exibição em TV aberta e fechada. De fato, a Globo decidiu mostrar jogos do time no pacote pago justamente para aumentar a arrecadação.

Outro clube afetado por essa questão foi o São Paulo. Juntamente com o Corinthians e o Flamengo, o time do Morumbi esteve entre as equipes da Série A com menor número de jogos no SporTV.

O tricolor paulista também sofreu impacto na verba do ppv por conta da arrecadação mais baixa da Globo. No caso são-paulino, isso é ainda pior porque o clube é o único do trio de ferro paulistano que não tem uma garantia mínima de dinheiro no pacote fechado. Com isso, a diretoria são-paulina avalia que o clube arrecadou R$ 40 milhões a menos do que esperava com o novo contrato da Globo. Ou seja, o efeito foi ainda maior do que o do rival alvinegro. Por isso, ambos os clubes tiverem que rever previsões de dinheiro de tv para 2020.

Na Globo, o ppv sempre foi tratado como uma renda variável que os clubes, fator que os clubes têm levar em conta quando projetarem suas receitas neste item. É fato que clubes como Corinthians e São Paulo já tiveram percentuais acima do esperado na arrecadação nos pacotes fechados, mas a tendência de mercado atual é oposta com a diminuição do número de assinantes na TV a cabo.

Em relação à exibição de jogos em TVs aberta e fechada, a Globo tem adotado uma política de colocar os clubes mais populares no ppv para turbinar assinaturas. Além disso, houve a procura por um maior equilíbrio entre os times nas aparições nessas duas plataformas, tanto que clubes como o Avaí tiveram um bom número de jogos no SporTV.

Blog do Rodrigo Mattos