PUBLICIDADE
Topo

Renato Mauricio Prado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

RMP: Abel terá coragem de unir Scarpa e Veiga na final da Libertadores?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

10/11/2021 22h34Atualizada em 10/11/2021 22h35

Depois de preocupante sequência de maus resultados, o Palmeiras parece ter se acertado, alcançando, com uma goleada diante do Atlético Goianiense, a sexta vitória consecutiva no Brasileiro. Mais que isso, passou a jogar, desde então, um futebol ofensivo, envolvente e, em determinados momentos, até empolgante.

A ponto de já ser considerado por muitos o grande favorito para conquistar o tri da Libertadores, diante do Flamengo de Renato Gaúcho que, ao contrário, tem se mostrado perdido em meio à maratona de jogos e à assustadora sequência de contusões que assola seu elenco milionário.

Vejo três responsáveis diretos pela evolução palmeirense: Dudu, que com mais ritmo de jogo e maior liberdade, está voltando a ser aquele jogador insinuante de antes de sua fuga para o mundo árabe e a dupla Gustavo Scarpa e Raphael Veiga, dois meias clássicos que conseguiram dar ao até então insípido meio-campo de Abel Ferreira (useiro e vezeiro em escalar um batalhão de volantes) um brilho até então raro.

A grande pergunta agora é se o técnico português terá coragem de usar tal formação diante do Flamengo, jogando de peito aberto, de igual para igual, ou se na hora da onça beber água, deixará Scarpa no banco, como opção ofensiva, e escalará mais um volante, se fechando como fez nos dois jogos contra o Atlético Mineiro, para sair em contra-ataques.

Particularmente, ainda acho que o espírito defensivista de Abel o levará a apostar num meio-campo de cabeças-de-área com apenas um armador de verdade: Raphael Veiga, que vive um momento técnico excepcional.

Seguindo o mesmo raciocínio, aposto que, na lateral-direita, o substituto de Marcos Rocha, suspenso, será Maike e não Gabriel Menino, que é bem mais talentoso e ofensivo. A conferir, no próximo dia 27, no Estádio Centenário, em Montevidéu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL