PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

RMP: Sem necessidade, Tite e a CBF esculhambam de vez o calendário

Conteúdo exclusivo para assinantes
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

24/09/2021 21h08Atualizada em 25/09/2021 10h58

Uma vez mais, as convocações desnecessárias de jogadores que atuam no Brasil provocarão adiamentos de jogos e estrangularão ainda mais um calendário que já é desastroso, por conta da CBF e dos próprios clubes, que aceitam estaduais muito maiores do que seria recomendável.

Vamos falar sério? Nos dias de hoje, as eliminatórias sul-americanas são uma barbada para o Brasil. Exceção feita aos clássicos contra a Argentina, não há mais um jogo sequer que realmente ponha à prova a seleção brasileira. Nosso futebol sobra no continente. Muito provavelmente, as finais da Libertadores e da Sul-americana deverão ser disputadas por equipes tupiniquins. Por que, então, Tite precisa convocar atletas que atuam por aqui, prejudicando o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, suas principais competições?

Weverton, Arana, Edenílson, Éverton Ribeiro e Gabigol nem sequer são titulares do time canarinho. A seleção está virtualmente classificada para a Copa do Mundo, com seus 100% de aproveitamento nos primeiros oitos jogos - já tem 11 pontos de vantagem sobre o quarto e o quinto colocados, Equador e Colômbia (24 x 13).

Tivesse o técnico um mínimo de bom-senso não obrigaria as equipes brasileiras a autênticas maratonas, na reta final da temporada, para fazer todos os jogos que estão sendo postergados por seu capricho de "levar os melhores". Um mal absolutamente desnecessário.

É óbvio que a solução perfeita seria a paralisação total do calendário nas datas Fifa, como acontece no resto do primeiro mundo do futebol. Mas, infelizmente, somos obrigados a reconhecer que o país pentacampeão do mundo já não faz parte dessa elite. Não à toa, o nível do jogo aqui é técnica e taticamente muito inferior ao que se vê lá fora. Em termos de organização, então, somos terceiro mundo. Se tanto...

Mas, claro, um bando de pachecos seguirá achando o empolado professor Adenor um gênio (recomendo o excelente artigo "Zona 14 prova que Tite é bitolado", do companheiro Menon, aqui mesmo no UOL). Essa turma acredita piamente que poderemos ganhar o título na Copa do Catar... Tolinhos!

Alhos com bugalhos

Daniel Alves decidiu não jogar mais na atual temporada e disse no twitter que tal decisão "Não é sobre dinheiro, é sobre valores, hombridade, é sobre caráter, sobre legado". Alguém me explica o que uma coisa tem a ver com as outras? Que capacidade tem o Daniel de misturar alhos com bugalhos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Renato Maurício Prado