PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

VAR evita derrota mas torcedor do Palmeiras deve se preocupar

Conteúdo exclusivo para assinantes
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

31/07/2021 22h01Atualizada em 31/07/2021 22h03

Pensando nos dois jogos que vêm por aí, pela Libertadores, o torcedor do Palmeiras tem motivos para se preocupar, após o Choque Rei do primeiro turno do Brasileiro, no Morumbi. Seu time só não foi derrotado porque o VAR interveio em lances capitais, decidindo, de forma polêmica, contra o tricolor paulista, que teve dois gols anulados (um corretamente) e um pênalti a seu favor desmarcado. Mesmo com sete desfalques, o time de Hernán Crespo foi superior ao de Abel Ferreira na maior parte do clássico. E merecia a vitória.

Assim como o juiz Luiz Flávio de Oliveira viu em campo, antes de ser chamado pelo VAR, achei pênalti de Gustavo Gomez sobre Marquinhos. Houve uma carga em cima (no peito e no braço), um desequilíbrio provocado, com o corpo do zagueiro caindo sobre o do atacante e, para encerrar, um puxão de mão na mão, quando os dois já iam desabando no gramado. No entanto, o árbitro de vídeo Péricles Bassol, que atuava há pouco como comentarista de arbitragem, se meteu, influenciou e a penalidade máxima foi anulada.

Essa não seria, porém, a decisão mais controversa. Após um bom primeiro tempo, no qual as melhores oportunidades foram do São Paulo, que tinha o domínio territorial da partida, veio uma etapa final morna, mas nos acréscimos, aconteceu o gol contra de Gustavo Gomez, que daria a justa vitória ao tricolor paulista.

Nova intervenção do VAR, nova anulação polêmica, sob a alegação de que, na hora do cruzamento de Reinaldo, Miranda estava impedido. Só que o zagueiro são-paulino não participou do lance. A bola passou por cima de sua cabeça e da de Patrick de Paula e Gomez, sem ser pressionado por ninguém, desviou contra o próprio gol.

Anulado o gol, o Palmeiras escapou da derrota que merecia, mas segue sem vencer o São Paulo e se tal sina prosseguir o máximo que conseguirá é levar a decisão da vaga na Libertadores para os pênaltis. Espera... Decisão por pênaltis? O torcedor palmeirense tem ou não tem motivos de sobra para ficar preocupado?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Renato Maurício Prado