PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

O Fluminense mereceu vencer. Roger Machado encontrou o seu time

Conteúdo exclusivo para assinantes
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

30/05/2021 01h07Atualizada em 30/05/2021 01h09

O tricolor carioca foi melhor que o paulista e merecia a vitória no duelo que fizeram, na primeira rodada do Brasileiro, no Morumbi. Poderia tê-la conseguido se Nenê não tivesse perdido um pênalti, após se deixar levar pelas provocações de Miranda, que fez tudo para desestabilizá-lo e conseguiu. Volpi defendeu o chute mal feito pelo quarentão do Flu.

O trabalho de Roger Machado, entretanto, começa a dar frutos. Foram muito boas as atuações contra o River Plate, no Monumental de Nunes (3 a 1) e no injusto empate com o São Paulo, no Morumbi (0 a 0). Muito criticado por boa parte da torcida, pelas más atuações nas derrotas na final do Estadual e no jogo contra o Junior Barranquilla, pela Libertadores, o técnico parece ter encontrado a escalação ideal e "encaixado" o time, como gostam de dizer os "professores".

As entradas de Samuel Xavier, na lateral direita, no lugar de Calegari, e Caio Paulista e Gabriel Teixeira, substituindo Kayky e Luís Henrique, no ataque, tornaram o Fluminense mais forte na marcação e mais efetivo ofensivamente. Após atuações bastante convincentes contra dois adversários fortes e que são considerados candidatos reais aos títulos que disputam, por que não começar a pensar que o Fluminense se inclui entre os reais postulantes na Libertadores e no Brasileiro?

O São Paulo, é verdade, deixou a desejar. Mas é justo levar em consideração os desfalques de Daniel Alves e Benitez, bem como o compreensível relaxamento após a conquista de sua "Copa do Mundo" - o título estadual no qual o clube centrou todas as atenções no início da temporada. Que ninguém duvide: o tricolor paulista segue forte em todas as competições que disputará.

A novidade é a entrada do tricolor carioca nesse grupo.

Preocupante

As estreias de Botafogo e Vasco foram preocupantes. O alvinegro carioca foi incapaz de derrotar o Vila Nova, que jogou com menos um todo o segundo tempo. Já o Vasco perdeu para o Operário por 2 a 0, jogando em São Januário. Nenhum dos dois jogou bulhufas. A menos que evoluam rapidamente, começam a ensaiar mais um ano na Segunda Divisão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Renato Maurício Prado