PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

Escolha de Sofia para Diniz: escala os titulares contra o Flu?

Fernando Diniz comanda o São Paulo na semifinal da Copa do Brasil contra o Grêmio - Fernando Alves/AGIF
Fernando Diniz comanda o São Paulo na semifinal da Copa do Brasil contra o Grêmio Imagem: Fernando Alves/AGIF
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

24/12/2020 04h00

Líder isolado do Brasileiro e semifinalista da Copa do Brasil, o São Paulo jogou melhor que o Grêmio, no Sul, perdeu dois gols praticamente feitos em lindas jogadas de pé em pé, mal finalizadas justamente por seus artilheiros Brenner e Luciano e acabou derrotado por 1 a 0, na única conclusão certa do adversário.

Agora, precisa vencer no Morumbi por pelo menos dois gols de diferença - se for por apenas um, decidirá a vaga na final nos pênaltis. Antes disto, porém, enfrentará o Fluminense, no próximo sábado, no Maracanã. E aí, surge a pergunta que não quere calar: Fernando Diniz deve ou não poupar seus titulares diante do tricolor carioca?

O jogo na Arena Gremista foi extremamente disputado e, ao final, era evidente a exaustão dos dois times. Daniel Alves, terminou a partida se arrastando em campo. Como estarão os jogadores na próxima quarta-feira, se forem obrigados a jogar no final de semana? Renato Gaúcho, podem apostar, escalará uma equipe somente de reservas contra o Atlético Goianiense, no domingo. Até porque a Copa do Brasil é o único título que ainda pode conquistar esta temporada.

Mas e Fernando Diniz? O São Paulo lidera o Brasileiro com cinco pontos de vantagem sobre o Flamengo, que tem uma partida a menos e pode reduzir tal diferença para apenas dois. Um eventual tropeço são-paulino diante do Fluminense permitiria que o rubro-negro encostasse de vez, desde que, naturalmente, derrotasse o Fortaleza, no Castelão.

Com o título da Copa Brasil (que o São Paulo nunca conquistou) a apenas três jogos, naturalmente, neste momento, a prioridade deve ser ela. Mas já imaginaram se Diniz escalar reservas diante do Flu, perder, ou mesmo empatar, e, em seguida, não conseguir derrotar o Grêmio, ficando fora da final? A pressão será enorme.

Vencer a Copa do Brasil ou o Brasileiro tornou-se praticamente uma obrigação para Diniz, após tantos fracassos em 2020: eliminações seguidas no Paulistinha, na fase de grupos da Libertadores e na primeira rodada da Sul-Americana. Se vencer uma das duas competições, salvará o ano. Se ganhar ambas, a glória, a redenção após tantas críticas dos torcedores, jornalistas e até alguns dirigentes do clube. Mas se perder uma e outra...

Daí a importância da decisão que tomará nos próximos dias. Os dois próximos jogos prometem.

Palmeiras decepcionante

Grande favorito nas semifinais da Copa do Brasil, o Palmeiras deixou escapar uma grande oportunidade para garantir a vaga para a final logo no primeiro jogo, no Allianz Parque. Empatar com o América MG em 1 a 1 foi uma enorme decepção para sua torcida.

Ainda pode, claro, vencer no Independência. Tem time pra isso. Mas precisará jogar bem mais. E ser efetivo nas conclusões. Coisa que nem de longe conseguiu na primeira partida, em casa. O trabalho de Lisca é admirável. Mesmo dominada, sua equipe se mostrou sempre mais bem organizada que a do português Abel Ferreira. O confronto está aberto. E agora equilibrado.

Renato Maurício Prado