Rafael Reis

Rafael Reis

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Jogadores abandonam times na Inglaterra para entrar em reality de pegação

O zagueiro Ronnie Vint e o atacante Ayo Adukoya resolveram deixar em segundo plano a carreira nas divisões inferiores do futebol inglês para passarem um mês em uma praia paradisíaca repleta de corpos sarados e festas movidas a grandes quantidades de álcool.

O defensor do Lewes, clube que disputa a Isthmian League Premier Division, um dos campeonatos equivalente à sexta divisão da Inglaterra, e o artilheiro do Redbridge, do sétimo escalão, estão no elenco do "Love Island", reality de pegação que faz um sucesso danado na TV britânica.

No programa, alguns famosos e outros anônimos são levados a um cenário paradisíaco em Mallorca (Espanha) e por lá convivem durante cerca de 40 episódios. O objetivo do game é que os participantes formem casais (esportivos, amorosos e sexuais) em busca de um prêmio final de 50 mil libras (quase R$ 340 mil).

Apesar de se tratar de uma competição, a disputa pela premiação muitas vezes fica em segundo plano no cotidiano do confinamento.

O reality, atualmente na 11ª temporada, faz sucesso principalmente por conta da exibição de corpos em trajes mínimos e cenas de beijo e relações sexuais, mais ou menos na mesma escola da série "De Férias com o Ex", exibida aqui no Brasil pela MTV e pela plataforma Prime Video.

Tanto Vint quanto Adukoya sobreviveram à primeira rodada de eliminação do programa e continuam no jogo. Eles ainda não informaram se pretendem retornar ao futebol ou abraçar de vez o posto de subcelebridades depois que retornarem à Inglaterra.

Atletas em realities

Participar de reality shows é uma atividade bem corriqueira para atletas que já encerraram a carreira. Aqui no Brasil, "A Fazenda" já teve como participantes Fernando Scherer (natação), Robson Caetano (atletismo), Márcia Fu (vôlei), Dinei, Viola, Paulo Nunes, Amaral, Aloísio Chulapa e Túlio Maravilha (futebol).

No exterior, já houve até mesmo um ex-jogador de futebol que ganhou o "Big Brother". Em 2015, o ex-atacante David Odonkor, que disputou a Copa do Mundo-2006 pela seleção alemã, ganhou a versão para celebridades do programa na TV germânica.

Continua após a publicidade

Menos comum são os casos como os de Adukoya e Vint, atletas ainda treinando e competindo que deixam a carreira de lado para expor a intimidade em um show televisivo. Mas eles também acontecem.

Um dos mais lembrados é o do velocista Paulo André Camilo. Semifinalista dos 100 m rasos nos Jogos Olímpicos de Tóquio, ele deu um tempo no atletismo para estrelar o "Big Brother Brasil 22" e foi vice-campeão do programa.

Desde então, vem tentando conciliar a rotina de um atleta de alta performance com os compromissos publicitários e promocionais de uma celebridade.

PA, como é conhecido, ainda não conseguiu índice para correr provas individuais na Olimpíada de Paris, que começa no dia 26 de julho, na capital francesa. No entanto, deve integrar como titular a seleção brasileira no revezamento 4 x 100 m rasos.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes