PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mercado da Bola movimenta R$ 7 bi; conheça os 10 clubes que mais faturaram

Recém-contratado pelo Real, Tchouaméni valorizou 344,4% em 2 anos no Monaco - Divulgação
Recém-contratado pelo Real, Tchouaméni valorizou 344,4% em 2 anos no Monaco Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

21/06/2022 04h20

Investir na contratação de jovens talentos, utilizá-los durante algumas temporadas para que ganhem mais experiência internacional e depois negociá-los por uma bela grana para alguns dos clubes mais ricos e ambiciosos do planeta.

Os cinco times que mais ganharam dinheiro com vendas de jogadores neste começo de Mercado da Bola da temporada 2022/23 são adeptos dessa corrente de administração no futebol.

Juntos, Benfica, Monaco, Red Bull Salzburg, Borussia Dortmund e Sporting faturaram 344,1 milhões de euros (quase R$ 1,9 bilhão) nesta janela de transferências. O valor equivale a 26% do total de 1,3 bilhão de euros (R$ 7 bilhões) movimentado pelas compras e empréstimos de atletas no mundo inteiro ao longo das últimas semanas.

O caso do atacante uruguaio Darwin Núñez é um exemplo claro da eficiência do modelo.

Duas temporadas atrás, o Benfica pagou 34 milhões de euros (R$ 184 milhões, na cotação atual) ao Almería pelo então garoto de 21 anos. 84 jogos e 47 gols depois, conseguiu negociá-lo com o Liverpool por mais que o dobro do valor investido lá atrás: 75 milhões de euros (R$ 406 milhões).

O volante francês Aurélien Tchouaméni, o jogador mais caro desta janela até o momento, tem uma história semelhante... e até mais lucrativa.

Aos 20 anos, trocou o Bordeaux pelo Monaco em um negócio de 18 milhões de euros (R$ 97,4 milhões). Hoje com 22 anos, acabou de ser vendido pelo clube do principado para o Real Madrid por 80 milhões de euros (R$ 432,8 milhões), uma valorização de 344,4%.

No ano passado, ainda impactado pelos efeitos econômicos da pandemia da covid-19, o Mercado da Bola de junho/julho/agosto movimentou "apenas" 4 bilhões de euros (R$ 21,7 bilhões) e teve seu resultado mais modesto desde 2014/15.

A Inglaterra é o único país da elite europeia que já abriu a janela de transferências. Alemanha, Espanha, França e Itália optaram por manter a data tradicional e liberarão os negócios em 1º de julho.

Apesar da discordância quanto ao início, os cinco campeonatos nacionais mais importantes do Velho Continente manterão o mercado aberto até o mesmo dia: 1º de setembro. Depois, os clubes só poderão registrar atletas que já estavam sem contrato, ou seja, que não tinham vínculo com nenhuma equipe.

No Brasil, onde a janela é exclusiva para a chegada de jogadores que estavam no exterior (transferências internacionais), o próximo período apto para transações vai de 18 de julho a 15 de agosto.

Os 10 clubes que mais faturaram na janela

1 - Benfica (POR): 97 milhões de euros
2 - Monaco (FRA): 80 milhões de euros
3 - Red Bull Salzburg (AUT): 76,3 milhões de euros
4 - Borussia Dortmund (ALE): 61,5 milhões de euros
5 - Sporting (POR): 42,8 milhões de euros
6 - Fiorentina (ITA): 40 milhões de euros
7 - Porto (POR): 35 milhões de euros
8 - Sevilla (ESP): 31 milhões de euros
9 - Brighton (ING): 29,2 milhões de euros
10 - Sassuolo (ITA): 27 milhões de euros

Os 10 reforços mais caros

1 - Aurélien Tchouaméni (FRA, Real Madrid): 80 milhões de euros
2 - Darwin Núñez (URU, Liverpool): 75 milhões de euros
3 - Erling Haaland (NOR, Manchester City): 60 milhões de euros
4 - Federico Chiesa (ITA, Juventus): 40 milhões de euros
5 - Nuno Mendes (POR, Paris Saint-Germain): 38 milhões de euros
6 - Fábio Vieira (POR, Arsenal): 35 milhões de euros
7 - Brenden Aaronson (EUA, Leeds United): 32,8 milhões de euros
8 - Diego Carlos (BRA, Aston Villa): 31 milhões de euros
9 - Karim Adeyemi (ALE, Borussia Dortmund): 30 milhões de euros
10 - Yves Bissouma (MAL, Tottenham): 29,2 milhões de euros
TOTAL: 1,3 bilhão de euros

Os 10 brasileiros mais caros

1 - Diego Carlos (Aston Villa-ING): 31 milhões de euros
2 - Philippe Coutinho (Aston Villa-ING): 20 milhões de euros
3 - David Neres (Benfica-POR): 13,5 milhões de euros
Everton Cebolinha (Flamengo-BRA): 13,5 milhões de euros
5 - Willian José (Betis-ESP): 10 milhões de euros
6 - Matheus Henrique (Sassuolo-ITA): 8 milhões de euros
7 - Samuel Lino (Atlético de Madri-ESP): 6,5 milhões de euros
8 - Fernando (Red Bull Salzburg-AUT): 6 milhões de euros
9 - Luiz Henrique (Betis-ESP): 5 milhões de euros
10 - Lincoln (Fenerbahçe-TUR): 3,5 milhões de euros
Marquinhos (Arsenal-ING): 3,5 milhões de euros

Os 10 clubes mais gastões

1 - Liverpool (ING): 85,8 milhões de euros
2 - Real Madrid (ESP): 80 milhões de euros
3 - Manchester City (ING): 60 milhões de euros
4 - Leeds United (ING): 57,8 milhões de euros
5 - Borussia Dortmund (ALE): 55 milhões de euros
6 - Aston Villa (ING): 54,5 milhões de euros
7 - Arsenal (ING): 44,9 milhões de euros
8 - Olympique de Marselha (FRA): 43,4 milhões de euros
9 - Atalanta (ITA): 42 milhões de euros
10 - Juventus (ITA): 40 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt