PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Como o Real Madrid economizou R$ 1,1 bi em 2 anos para investir em Mbappé

Mbappé deve anunciar em breve se irá para o Real ou ficará no PSG - Patrick HERTZOG / AFP
Mbappé deve anunciar em breve se irá para o Real ou ficará no PSG Imagem: Patrick HERTZOG / AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

21/05/2022 04h00

O Real Madrid aguarda o anúncio da decisão sobre o futuro de Kylian Mbappé com tanta ansiedade quanto espera a final da Liga dos Campeões da Europa, contra o Liverpool, no próximo sábado.

A afirmação acima até pode parecer exagerada, mas não é.

Afinal, todo o planejamento feito pela diretoria merengue ao longo das duas últimas temporadas não tinha como objetivo principal conquistar mais um título de Champions. A meta era conseguir a contratação do atacante francês, que promete nos próximos dias se permanecerá no Paris Saint-Germain ou mudará para a Espanha.

Desde 2020, quando percebeu que havia uma possibilidade real de tirar Mbappé do PSG, o Real entrou em uma espécie de modo de contenção de gastos com o intuito de fazer caixa e ter folha salarial suficiente para bancar o custo do jovem astro.

Por isso, praticamente parou de investir em novos jogadores. Na soma das duas últimas temporadas, gastou apenas 31 milhões de euros (R$ 159 milhões) em reforços. Em contrapartida, arrecadou 182,2 milhões de euros (R$ 934,5 milhões) com a venda de nomes do calibre de Raphaël Varane, Achraf Hakimi, Martin Ödegaard e Sergio Reguilón.

Com essas transações e também a saída ao término do contrato do ex-capitão Sergio Ramos, o Real conseguiu reduzir em cerca de 10% o custo anual do seu elenco. Em 2019/20, o clube gastava com salários 363 milhões de euros (R$ 1,9 bilhão) por ano. Agora, esse orçamento está na casa de 326,8 milhões de euros (R$ 1,7 bilhão).

E essa folha sofrerá uma nova redução significativa a partir de julho, quando chega ao fim o vínculo de Gareth Bale. Dono do salário mais alto do time espanhol, ele fatura 34 milhões de euros (R$ 174,7 milhões) por temporada.

Apesar de não ter de pagar pelos direitos econômicos de Mbappé, que também está em fim de contrato no PSG, o Real terá de desembolsar uma fortuna para ter o francês. Estima-se que ele receberá 50 milhões de euros (R$ 257,6 milhões) por ano caso vá para a capital espanhola. Por isso, a economia de mais de 215 milhões de euros (R$ 1,1 bilhão) feita nas duas últimas temporadas foi mais que necessária.

Ontem, a mãe e empresária do atacante, Fayza Lamari, afirmou que o estafe do jogador já chegou a acordos econômicos com os dois clubes que podem abrigar seu filho na próxima temporada. Resta agora ao atleta decidir o que deseja para a sequência da sua carreira.

Segundo o jornal francês "L'Équipe", Mbappé anunciará seu futuro amanhã, durante a exibição do programa Telefoot, da TV local. Já de acordo com o jornalista Fabrizio Romano, especialista no Mercado da Bola internacional, ainda não há garantias de que essa novela terá um desfecho ainda neste fim de semana.

A final entre Real Madrid e Liverpool será a mais pesada da história da Liga dos Campeões e levará a campo nada menos que 19 títulos da competição que é o desejo máximo de jogadores, treinadores, dirigentes e torcedores: 13 dos espanhóis e seis dos ingleses.

Esse será o terceiro encontro dos dois clubes na decisão do torneio continental. Em 1981, os Reds venceram por 1 a 0. Quatro anos atrás, os merengues conseguiram a revanche e derrotaram os antigos algozes por 3 a 1.

Pelo terceiro ano consecutivo, a partida que distribuirá o título de melhor time de futebol do Velho Continente não será disputada no local inicialmente programado pela Uefa.

Depois de levar as duas últimas finais da Champions para Portugal por conta da pandemia da covid-19, a entidade europeia resolveu tirar o jogo do título desta edição de São Petersburgo como forma de sanção pela invasão da Rússia à Ucrânia.

Com isso, a partida que definirá o sucessor do Chelsea no posto de campeão europeu será realizada daqui a uma semana, no dia 28 de maio, em Saint-Denis, nos arredores de Paris (França).

Finais europeias 2021/22

LIGA EUROPA
18/05 - Eintracht Frankfurt 1 (5) x (4) 1 Rangers, no Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha (ESP)

CONFERENCE LEAGUE
25/05, às 16h - Roma x Feyenoord, na Arena Kombëtare, em Tirana (ALB)

LIGA DOS CAMPEÕES
28/05, às 16h - Liverpool x Real Madrid, no Stade de France, em Saint-Denis (FRA)