PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Janela de janeiro já movimenta R$ 2,3 bi; veja os 10 brasileiros mais caros

Vanderson (Monaco) é o brasileiro mais caro desta janela de transferências - Divulgação
Vanderson (Monaco) é o brasileiro mais caro desta janela de transferências Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/01/2022 04h20

As transações envolvendo jogadores brasileiros equivalem a mais de 10% de todo o valor movimentado com compras e empréstimos de atletas profissionais de futebol em todo o planeta nesta edição da janela de transferências de janeiro.

De acordo com o "Transfermarkt", site especializado na cobertura do Mercado da Bola, os negócios com representantes do único país pentacampeão mundial fizeram girar pelo menos 40 milhões de euros (R$ 257,7 milhões) nesses primeiros 11 dias de 2022.

Isso significa 11,3% do resultado global das transferências seladas até o momento neste ano, que estão na casa de 353 milhões de euros (R$ 2,3 bilhões).

O brasileiro mais caro negociado nesta janela de janeiro foi o lateral direito Vanderson, rebaixado com o Grêmio para a Série B, por quem o Monaco aceitou pagar 11 milhões de euros (R$ 70,7 milhões).

Essa também é a única transferência de um compatriota de Ronaldo, Romário, Ronaldinho Gaúcho e Neymar que aparece no top 10 de maiores negócios do ano. Assim como na semana passada, o ranking continua sendo liderado pelo atacante espanhol Ferrán Torres, vendido pelo Manchester City para o Barcelona por 55 milhões de euros (R$ 353,2 milhões).

Vanderson aparece na sétima colocação dessa lista, ao lado do meio-campista polonês Kacper Kozlowski (Brighton). A segunda maior transação de brasileiro em 2022, a venda do também lateral Vinícius Tobias, que vai trocar o Internacional pelo Shakhtar Donetsk, movimentou "apenas" 6 milhões de euros (R$ 38,5 milhões) e ocupa o 17º lugar.

Considerando apenas as compras feitas por clubes brasileiros, o maior negócio foi a compra do meia-atacante Helinho pelo Red Bull Bragantino. O jogador, que já estava emprestado pelo São Paulo na temporada passada, teve seus direitos econômicos adquiridos por 4 milhões de euros (R$ 25 milhões).

Outras quatro transações envolvendo a filial brasileira do conglomerado futebolístico da empresa de energéticos fazem parte do top 10 dos jogadores tupiniquins mais caros deste ano.

Em 2021, impactada pelos fortes efeitos financeiros da pandemia da covid-19, a janela de transferências de janeiro movimentou 501 milhões de euros (R$ 3,2 bilhões) e teve seu pior resultado em 11 temporadas. Desta vez, a tendência é que essa marca seja superada com muita folga.

Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França, as cinco principais ligas nacionais do Velho Continente, permitirão a contratação de novos jogadores para a segunda metade da temporada até o fim do mês.

No Brasil, que adota um calendário diferente da elite europeia e tem na janela de começo de ano seu mais expressivo período de registro de atletas e formação de elencos, será liberado o registro de reforços vindos de outros países entre os dias 19 de janeiro e 12 de abril. Por aqui, as transações entre dois clubes nacionais não têm nenhum tipo de restrição de datas.

Os brasileiros mais caros da janela de janeiro

1 - Vanderson (Monaco-FRA): 11 milhões de euros
2 - Vinícius Tobias (Shakhtar Donetsk-UCR): 6 milhões de euros
3 - Helinho (Red Bull Bragantino): 4 milhões de euros
4 - Natan (Red Bull Bragantino): 3,5 milhões de euros
5 - Eric Ramires (Red Bull Bragantino): 1,9 milhão de euros
6 - Paulinho Bóia (Metalist-UCR): 1,6 milhão de euros
Vinícius Mello (Charlotte FC-EUA): 1,6 milhão de euros
8 - Luan Cândico (Red Bull Bragantino): 1,5 milhão de euros
9 - Fábio (Atlético-MG): 1,3 milhão de euros
Ricardo Graça (Júbilo Iwata-JAP): 1,3 milhão de euros

Os reforços mais caros

1 - Ferran Torres (ESP, Barcelona): 55 milhões de euros
2 - Vitaly Mykolenko (UCR, Everton): 23,5 milhões de euros
3 - Ricardo Pepi (EUA, Augsburg): 16,4 milhões de euros
4 - Kieran Trippier (ING, Newcastle): 15 milhões de euros
5 - Jonathan Ikoné (FRA, Fiorentina): 14 milhões de euros
Nathan Patterson (ESC, Everton): 14 milhões de euros
7 - Kacper Kozlowski (POL, Brighton): 11 milhões de euros
Vanderson (BRA, Monaco): 11 milhões de euros
9 - Diego Valdés (CHI, América-MEX): 10,6 milhões de euros
10 - Jens Cajuste (SUE, Reims): 10 milhões de euros
TOTAL: 353 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt