PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Europa descobre Endrick e já estuda forma de tirá-lo do Palmeiras

Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

11/01/2022 04h00

As atuações de Endrick nas duas primeiras rodadas da Copa São Paulo não chamaram a atenção apenas dos torcedores do Palmeiras, que têm feito campanha nas redes sociais para ver o adolescente de 15 anos utilizado o quanto antes no time profissional.

O atacante, que tem sido a sensação desta fase inicial do torneio destinado para atletas até seis anos mais velhos do que ele, também foi descoberto pela imprensa e pelos clubes da Europa.

  • De segunda a sexta, às 17h, o Canal UOL traz, ao vivo, as últimas informações do mercado da bola. Inscreva-se no YouTube de UOL Esporte e confira também as lives dos clubes, Posse de Bola e UOL News Esporte:

Só nos últimos dias, os jornais espanhóis "As" e "Sport", além do inglês "Daily Star", publicaram matérias destacando o talento do camisa 9 palmeirense, que já marcou quatro gols na competição.

Os elogios feitos pelos jornais do Velho Continente a Endrick foram de chamá-lo de "novo Vinícius Júnior", que tem sido um dos destaques do Real Madrid na temporada, à frase "a Copinha não via um talento tão jovem desse nível desde Neymar".

Os veículos estrangeiros também noticiaram que alguns clubes do primeiro escalão europeu, casos de Real Madrid, Barcelona, Manchester United e Liverpool, estão estudando qual é a melhor forma de tirar o atacante do Palmeiras.

De acordo com o regulamento de transferências da Fifa, um jogador só pode trocar um clube do seu país de origem por outro do exterior depois que completa 18 anos. Há algumas exceções (especialmente para cidadãos da União Europeia), mas nenhuma delas se aplica a Endrick.

Ou seja, pelo menos em tese, o garoto só poderá trocar o Palmeiras por alguma equipe europeia depois de 21 de julho de 2024, quando atingirá a maioridade. Na prática, isso significaria uma transferência lá na janela da temporada 2024/25.

Uma opção para quem não quiser esperar tanto tempo para garantir Endrick é utilizar a fórmula que o Real Madrid adotou para contratar justamente Vinícius Júnior.

O contrato da venda do jogador para o clube espanhol foi assinado pelo Flamengo em maio de 2017, quando o atacante ainda tinha 16 anos. No entanto, o jogador só pode concretizar a transferência e ir jogar na Espanha depois que comemorou seu 18º aniversário.

Durante um ano e dois meses, Vini continuou atuando normalmente pela equipe rubro-negra mesmo sabendo que seu futuro já estava selado. Situação que pode acabar se repetindo com Endrick, no Palmeiras.

Por enquanto, o atacante só tem um contrato de formação com o atual bicampeão da Libertadores. Pela legislação brasileira, ele só poderá assinar um vínculo profissional depois que completar 16 anos.

É por esse motivo também que o jogador deve estrear na equipe adulta somente depois de julho, ainda que tenha condições legais de disputar pelo menos o Mundial de Clubes da Fifa, no próximo mês.

Depois de derrotar Assu e Real Ariquemes nas primeiras rodadas da Copa São Paulo, o Palmeiras encerra hoje sua participação na fase de grupos do torneio, contra o Água Santa (a partir das 15h30, de Brasília), em Diadema.

Com um elenco turbinado por vários jogadores que já foram aproveitados pelo técnico Abel Ferreira na equipe principal, o clube ainda sonha com seu primeiro título na competição de base mais importante do país (algo que é frequentemente lembrado e ironizado por torcedores rivais).

Mantendo a tradição, a decisão da Copinha será disputada em 25 de janeiro, data do aniversário da cidade de São Paulo. O atual campeão é o Internacional, que derrotou o Grêmio na final de 2020 (não houve edição do ano passado por causa da pandemia de covid-19). O Corinthians, com 10 conquistas, é o maior vencedor da história do torneio.