PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por onde andam os campeões da Libertadores-2019 que deixaram o Flamengo?

Pablo Marí deixou o Flamengo para jogar no Arsenal depois do título continental - Thiago Ribeiro/AGIF
Pablo Marí deixou o Flamengo para jogar no Arsenal depois do título continental Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

26/11/2021 04h00

O Flamengo enfrenta o Palmeiras, amanhã (27), no estádio Centenário, em Montevidéu, capital do Uruguai, em busca do terceiro título da Copa Libertadores da América da sua história.

Os torcedores rubro-negros ainda lembram muito bem da última conquista continental do clube. Afinal, faz apenas dois anos que o time então comandado por Jorge Jesus derrotou o River Plate por 2 a 1 e se sagrou campeão sul-americano de 2019.

Com tão pouco tempo entre sua última decisão e a próxima, a base flamenguista que deve ir a campo no próximo fim de semana para medir forças contra os atuais vencedores do torneio continua a mesma do título mais recente.

Dos 14 jogadores que participaram da final contra o River (os 11 titulares e mais três que saíram do banco de reservas), nada menos que 11 continuam vestindo o uniforme rubro-negro. Ah, o treinador, sim, mudou.

Mas é claro que alguns atletas que participaram da campanha vitoriosa foram embora do Ninho do Urubu e já não são mais tão acompanhados assim pelos torcedores.

Pensando nisso, o "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo os paradeiros atuais de jogadores campeões da Libertadores-2019 pelo Flamengo que não terão a oportunidade de brigar pelo novo título.

GERSON (24 anos, Olympique de Marselha-FRA): Figura essencial para o sucesso flamenguista nos últimos anos, chegou ao clube já com a Libertadores-2019 em andamento e rapidamente virou o maior distribuidor de bolas do time. Negociado com o Olympique de Marselha por 25 milhões de euros (R$ 156,6 milhões), foi a venda mais cara do futebol brasileiro na última janela de transferências. Só que Gerson não tem rendido tudo o que pode na França. Apesar de titular na maioria dos jogos da equipe de Jorge Sampaoli, só tem um gol e duas assistências nesta temporada.

PABLO MARÍ (28 anos, Arsenal-ING): Descoberto pelo Flamengo na segunda divisão espanhola (La Coruña), ficou no Brasil durante apenas seis meses. Mas esse pouco tempo foi suficiente para cair nas graças do torcedor rubro-negro e descolar uma transferência para o Arsenal, um dos clubes mais vitoriosos na Inglaterra. Pablo Marí chegou em Londres pouco depois da conquista da Libertadores, mas só disputou 22 partidas pelo clube até o momento. Hoje, é uma espécie de segundo reserva do técnico Mikel Arteta para a posição.

RAFINHA (36 anos, Grêmio): Ao derrotar o River Plate, o lateral direito entrou para o seleto grupo de jogadores que venceram Libertadores e Liga dos Campeões da Europa. O ex-Bayern de Munique deixou o Flamengo em agosto de 2020 e passou uma curta temporada no Olympiacos, da Grécia, antes de selar seu retorno ao Brasil, em março, para jogar no Grêmio. Agora, o veterano está na luta para evitar o rebaixamento dos gaúchos para a segunda divisão nacional.

GUSTAVO CUÉLLAR (29 anos, Al Hilal-ARA): Titular durante a maior parte da Libertadores, o volante colombiano foi negociado com o Al Hilal depois das quartas de final e perdeu apenas os últimos três jogos da campanha. Na Arábia Saudita, Cuéllar tem colecionado um título atrás do outro: já foi campeão nacional, venceu a Copa do Rei e também a Liga dos Campeões da Ásia. Caso permaneça na sua equipe atual depois da virada do ano, ainda corre o risco de encontrar o Fla no Mundial de Clubes, que será disputado em fevereiro.

LÉO DUARTE (25 anos, Basaksehir-TUR): Caso semelhante ao de Cuéllar, também começou a competição continental como titular e foi negociado durante a temporada. A diferença é que o zagueiro foi para um clube importante do cenário europeu (o Milan). Só que Léo Duarte não conseguiu vingar na Itália e disputou só nove jogos durante o período de um ano e meio em que vestiu o uniforme rossonero. A solução foi um empréstimo até junho de 2022 para o Basaksehir, uma das novas potências do futebol turco. Na sua nova equipe, o brasileiro costuma ser titular e até quebra o galho como lateral direito de vez em quando.

ORLANDO BERRÍO (30 anos, América-MG): Apesar de não ter sido titular em nenhum jogo da Libertadores, o colombiano foi aproveitado em três compromissos da fase final da competição (contra o Emelec e nas duas partidas ante o Internacional). Na decisão contra o River, assistiu à conquista do título do banco de reservas. Berrío ficou no Flamengo até julho de 2020, quando se transferiu para os Emirados Árabes. Um ano depois, ele voltou ao Brasil para defender o América-MG. Só que sua passagem pela equipe mineira até o momento se resume a 27 minutos de futebol distribuídos em somente duas apresentações.