PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Como Palmeiras e Flamengo transformaram dinheiro em domínio na Libertadores

Gabigol é uma das estrelas mais caras do Flamengo - Marcelo Cortes/ Divulgação
Gabigol é uma das estrelas mais caras do Flamengo Imagem: Marcelo Cortes/ Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

22/11/2021 04h00

A decisão da Copa Libertadores da América-2021, que será disputada neste sábado, no estádio Centenário, em Montevidéu (URU), é a prova de que, pelo menos no futebol sul-americano, dinheiro traz sim felicidade... e muita.

Flamengo e Palmeiras, os dois finalistas desta temporada e também os últimos vencedores da competição, são simplesmente os clubes do continente que mais grana gastaram com contratação de jogadores na última década.

De acordo com o "Transfermarkt", plataforma especializada na cobertura do Mercado da Bola internacional, os rubros-negros investiram 142,8 milhões de euros (R$ 904 milhões) na aquisição de reforços desde 2012.

Seus adversários na decisão de sábado não ficam muito atrás. Foram 121,9 milhões de euros (R$ 771,9 milhões) gastos na compra de direitos econômicos e acordos por empréstimos de jogadores ao longo dos últimos dez anos.

No cenário sul-americano, ninguém torrou tanto dinheiro com novos atletas quanto eles. Apenas outros três clubes investiram mais de 100 milhões de euros (R$ 633,2 milhões) no período: os argentinos Boca Juniors e River Plate, além do Corinthians.

E, como dinheiro (pelo menos quando bem gasto) compra sucesso nos gramados, todos eles chegaram a pelo menos uma decisão de Libertadores na década.

No caso de Flamengo e Palmeiras, essa grana toda não rendeu apenas bons resultados no principal torneio interclubes da América do Sul (um título para casa). Por conta do investimento pesado, os dois clubes vivem uma fase acumuladora de troféus.

Os cariocas, que viveram uma fase de rigidez econômica para pagar dívidas antigas e colocar a casa em ordem no começo dos anos 2010 para só então voltar à política de grandes contratações, ganharam também cinco títulos estaduais, duas edições do Brasileiro e uma Copa do Brasil no período.

Já o Palmeiras, que inflou seu potencial de investimento graças aos lucros obtidos com seu estádio e aos contratos de patrocínio com as empresas de sua nova presidente, Leila Pereira, faturou ainda um Campeonato Paulista, dois Brasileiros e nada menos que três Copas do Brasil.

Pela terceira vez na história, o futebol brasileiro vai emendar três títulos consecutivos da Libertadores. Entre 1997 e 1999, Cruzeiro, Vasco e Palmeiras colocaram o país do futebol no topo do pódio do torneio sul-americano. De 2010 a 2014, Internacional, Santos, Corinthians e Atlético-MG construíram uma hegemonia ainda maior.

O campeão continental de 2021 vai levantar o troféu da competição número um da Conmebol pela terceira vez e igualar o recorde de São Paulo, Santos e Grêmio, os maiores vencedores vindos do Brasil.

Melhor time da América do Sul em 1999 e 2020, o Palmeiras também chegou à final em 1961, 1968 e 2000. Já o Flamengo saiu de campo vitorioso nas duas decisões que disputou: 1981 e 2019.

O vencedor da Libertadores-2021 ainda não sabe quando irá disputar o Mundial de Clubes. A próxima edição do torneio será realizada nos Emirados Árabes, em fevereiro do próximo ano. No entanto, as datas oficiais ainda não foram divulgadas pela Fifa.

Gastos com reforços nos últimos 10 anos

1 - Flamengo (BRA): 142,8 milhões de euros
2 - Palmeiras (BRA): 121,9 milhões de euros
3 - Boca Juniors (ARG): 121,3 milhões de euros
4 - River Plate (ARG): 101,3 milhões de euros
5 - Corinthians (BRA): 100,9 milhões de euros
6 - Atlético-MG (BRA): 96,7 milhões de euros
7 - São Paulo (BRA): 93,3 milhões de euros
8 - Santos (BRA): 67,6 milhões de euros
9 - Racing (ARG): 63,3 milhões de euros
10 - Independiente (ARG): 61,5 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt