PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Como zagueiro do 7 a 1 virou líder da melhor defesa da Europa na temporada

Dante e o técnico Christopher Galtier são responsáveis pelo sucesso do Nice no Campeonato Francês - Divulgação
Dante e o técnico Christopher Galtier são responsáveis pelo sucesso do Nice no Campeonato Francês Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

14/09/2021 04h20

Dante deixou o Brasil há uma década e meia, já foi campeão belga pelo Standard de Liège, venceu uma Liga dos Campeões com o Bayern de Munique, entrou na seleção de melhores jogadores do Campeonato Alemão e caiu em desgraça com os torcedores do seu país-natal depois de ser um dos vilões da goleada por 7 a 1 sofrida pela seleção contra a Alemanha, na Copa do Mundo-2014.

Agora, aos 37 anos e calejado por uma carreira repleta de experiências únicas, tanto positivas quanto negativas, o zagueiro baiano voltou a ganhar destaque no cenário internacional. Afinal, é ele o líder da melhor defesa da Europa neste começo de temporada.

O brasileiro é titular absoluto e capitão do Nice, único clube participante dos cinco principais campeonatos nacionais do Velho Continente (Inglês, Espanhol, Italiano, Alemão e Francês) que ainda não sofreu nenhum gol em 2021/2022.

Já são 433 minutos (quatro partidas completas da Ligue 1 e mais uma que foi interrompida na parte final do segundo tempo) de defesa intacta, marca que nem mesmo gigantes do porte de Chelsea, Liverpool, Real Madrid e Bayern de Munique atingiram.

Dante esteve em campo em todos eles. Ou seja, começou jogando todas as partidas da temporada e não foi substituído sequer uma vez.

Depois de sofrer uma ruptura no ligamento cruzado do joelho, em novembro do ano passado, e passar por uma cirurgia que o deixou seis meses afastado do futebol, o brasileiro não teve dificuldade para recuperar o ritmo de jogo e atuar em alto nível.

Segundo o site "WhoScored?", que mede o desempenho dos jogadores a partir das estatísticas do que eles produzem dentro das quatro linhas, Dante é o quarto melhor zagueiro do Campeonato Francês até o momento, com nota 7,21.

Além do capitão, no clube desde 2016, outros dois nomes têm sido apontados como responsáveis diretos pelo sucesso do sistema defensivo do Nice nesta parte inicial da temporada: o técnico Christopher Galtier e o zagueiro Jean-Clair Todibo.

Galtier foi o grande reforço do clube nesta temporada. O treinador de 55 anos foi contratado depois de surpreender a Europa ao levar o Lille à conquista da última Ligue 1. E importou da sua antiga equipe a ênfase na ideia de não sofrer gols (teve a melhor defesa da França em 2020/2021).

Já Todibo é um jovem zagueiro francês de 21 anos que foi contratado pelo Barcelona em 2019, mas só jogou cinco partidas na Catalunha. Em fevereiro, foi emprestado por um semestre ao Nice.

O reforço caiu tão bem na equipe que acabou tendo seus direitos econômicos comprados por 8,5 milhões de euros (R$ 52,4 milhões) na virada da temporada, dinheiro que agora parece uma mixaria depois da escalada no seu desempenho pelas mãos de Galtier.

Apesar de ainda não ter sofrido gols nesta temporada, o Nice ocupa apenas a quarta colocação do Francês com nove pontos, seis a menos que o Paris Saint-Germain, líder e favorito ao título.

O time de Dante até poderia estar um pouco mais acima na tabela, mas foi punido com a perda de um ponto pela confusão generalizada provocada por seus torcedores no clássico contra o Olympique de Marselha, no fim do mês passado.

Na ocasião, apoiadores do Nice lançaram objetos no gramado, invadiram o campo e agrediram jogadores do OM, que se recusaram a continuar na partida por questões de segurança. A equipe rubro-negra vencia o jogo por 1 a 0, mas o resultado não será considerado, já que a partida foi remarcada para o dia 27 de outubro.

Como foi apenas o nono colocado na temporada passada e não se classificou para nenhuma competição europeia, o clube tem agora uma semana livre para se preparar para seu próximo compromisso, contra o Monaco, domingo, em casa.