PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

7 seleções importantes que estão ameaçadas nas Eliminatórias da Copa-2022

Seleção espanhola corre sério risco de ficar no 2º lugar do seu grupo das Eliminatórias para a Copa do Mundo - Pablo Garcia/RFEF
Seleção espanhola corre sério risco de ficar no 2º lugar do seu grupo das Eliminatórias para a Copa do Mundo Imagem: Pablo Garcia/RFEF
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

10/09/2021 04h00

A um ano e dois meses da abertura da Copa do Mundo-2022, apenas uma seleção, a do Qatar, por ser o país-sede, já tem presença assegurada na principal competição do calendário internacional do futebol.

Mas essa situação tem tudo para mudar na próxima Data Fifa. Países como Brasil, Inglaterra e Dinamarca podem ser juntar aos anfitriões depois da disputa das rodadas de outubro das Eliminatórias.

Por outro lado, há seleções importantes no cenário global da bola que estão tão mal das pernas no qualificatório que já podem acionar o sinal de alerta. Para elas, ficar fora da próxima edição do Mundial é uma possibilidade concreta.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete equipes que estão vivendo essa segunda situação. Apesar de tradicionais e com jogadores famosos, elas estão ameaçadas de não se classificar para a Copa do Mundo.

ESPANHA
Participações em Copa: 15
Melhor campanha: Campeã em 2010
Última ausência: Alemanha-1974

Ué, mas os espanhóis não lideram o Grupo E? Sim, realmente ocupam a primeira colocação da chave. Só que a Suécia, que está quatro pontos atrás, tem dois jogos a menos (contra Kosovo e Grécia, ambos em casa) e totais condições de ultrapassá-la. Se nenhuma zebra acontecer nas próximas rodadas, a tendência é que os suecos cheguem ao confronto direto do dia 14 de novembro, em Sevilla, à frente na classificação e precisando apenas de um empate para ficar com a vaga direta do Grupo B. Por isso, é bom que a Espanha comece a preparar o psicológico para o risco de ficar na vice-liderança da chave e ter de disputar a repescagem europeia para ainda tentar ir ao Qatar.

POLÔNIA
Participações em Copa: 8
Melhor campanha: Terceira colocada em 1974 e 1982
Última ausência: Brasil-2014

Lewandowski lamenta gol marcado por Skriniar, da Eslováquia, durante estreia na Eurocopa pela Polônia - Lars Baron/Getty Images - Lars Baron/Getty Images
Imagem: Lars Baron/Getty Images

Eleito o melhor jogador do mundo no ano passado, Robert Lewandowski terá de balançar muito as redes para levar a Polônia novamente a uma Copa. Faltando quatro rodadas para o encerramento das eliminatórias, a seleção do astro do Bayern de Munique ocupa apenas o terceiro lugar do Grupo I. Ou seja, não está pegando nem repescagem. A esperança polonesa é que os confrontos contra San Marino, Albânia, Andorra e Hungria sejam suficientes para tirar a desvantagem de um ponto em relação aos albaneses para chegar à vice-liderança da chave. Pegar a Inglaterra (cinco pontos à frente) e, consequentemente, a vaga direta é uma tarefa quase impossível.

JAPÃO
Participações em Copa: 6
Melhor campanha: Oitavas de final em 2002, 2010 e 2018
Última ausência: Estados Unidos-1994

Inui e Okazaki, do Japão, após eliminação na Copa do Mundo - Odd Andersen/AFP - Odd Andersen/AFP
Imagem: Odd Andersen/AFP

A fase final das Eliminatórias Asiáticas acabou de começar. Mesmo assim, o Japão, uma das maiores potências do continente, já deu um jeito de se complicar. A inesperada derrota em casa para Omã, na semana passada, logo na rodada de abertura do Grupo B, fez os nipônicos largarem atrás de Austrália e Arábia Saudita, as outras potências com quem devem brigar pelas duas vagas distribuídas pela chave. Assim, o Japão encerrou a Data Fifa de setembro com três pontos e só no quarto lugar do seu grupo, o que não lhe daria direito nem mesmo de disputar a repescagem.

EGITO
Participações em Copa: 3
Melhor campanha: Nunca passou da primeira fase
Última ausência: Brasil-2014

Mohamed Salah lamenta um dos gols da Rússia durante sua estreia pelo Egito na Copa  - GIUSEPPE CACACE/AFP - GIUSEPPE CACACE/AFP
Imagem: GIUSEPPE CACACE/AFP

O maior vencedor da história do futebol africano (sete títulos continentais) não tinha muitas razões para se preocupar na penúltima fase das Eliminatórias de sua região. Esperava-se que Mohamed Salah e seus companheiros, que dividem grupo com Líbia, Gabão e Angola, tivessem uma vida tranquila rumo à classificação. Só que os egípcios empataram um jogo inesperado contra os gaboneses e viram os líbios vencerem suas duas primeiras partidas. Com quatro pontos, contra seis do líder do Grupo F, o Egito não poderá se dar ao luxo de não vencer o confronto direto entre as duas seleções, marcado para outubro. Caso contrário, correrá risco de ficar com a classificação para a Copa-2022 bastante ameaçada.

CAMARÕES
Participações em Copa: 7
Melhor campanha: Quartas de final em 1990
Última ausência: Rússia-2018

Camarões - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O sorteio das Eliminatórias foi cruel com uma das seleções mais bem-sucedidas do futebol africano. Os camaroneses caíram na mesma chave da Costa do Marfim. E, como só uma seleção de cada grupo avança para a rodada final do qualificatório, derrotar os marfinenses virou uma questão de sobrevivência para o país que deu Samuel Eto'o ao mundo. Mas Camarões perdeu o primeiro confronto direto contra o maior rival (2 a 1, fora de casa) e agora terá de tirar o prejuízo ao longo das quatro rodadas. O segundo confronto contra a Costa do Marfim, agora na casa dos camaroneses, fecha o grupo e será disputado entre os dias 14 e 16 de novembro.

GANA
Participações em Copa: 3
Melhor campanha: Quartas de final em 2010
Última ausência: Rússia-2018

Gana - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

A situação dos ganeses é bem parecida com a vivida pelos camaroneses. Os "Estrelas Negras" também estão em um grupo com duas seleções (África do Sul é a outra) bem melhores que as outras (Etiópia e Zimbábue) e, por isso, sabem que os confrontos diretos terão papel decisivo na briga pela classificação. Mas, assim como aconteceu com Camarões, também perderam como visitantes a primeira partida contra o principal adversário da chave e jogarão o desejo de ir para o Qatar-2022 na rodada final, daqui a dois meses, quando receberão em seus domínios o oponente número um.

CHILE
Participações em Copa: 9
Melhor campanha: Terceiro colocado em 1962
Última ausência: Rússia-2018

Chile e Peru se enfrentam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 - Ivan Alvarado/Getty Images - Ivan Alvarado/Getty Images
Imagem: Ivan Alvarado/Getty Images

A seleção de Arturo Vidal e Alexis Sánchez, que venceu duas edições da Copa América na década passada, é a maior decepção das Eliminatórias Sul-Americanas. O Chile só venceu uma (2 a 0 contra o Peru) das nove partidas que disputou e fechou o primeiro turno do qualificatório mais próximo da lanterna do grupo único do que da zona de classificação para o Mundial. Se nenhuma reação histórica acontecer no returno, a geração mais vitoriosa da história do futebol chileno irá se despedir da seleção com o segundo fracasso consecutivo nas Eliminatórias.