PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Relembre e reveja 7 momentos marcantes da passagem de Messi pelo Barcelona

Messi produziu incontáveis momentos históricos em quase duas décadas de Barcelona - Reuters
Messi produziu incontáveis momentos históricos em quase duas décadas de Barcelona Imagem: Reuters
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

05/08/2021 16h30

Depois de 21 anos (17 só no futebol profissional), a parceria entre Barcelona e Lionel Messi será desfeita. O clube catalão anunciou hoje que não tem condições legais/financeiras de registar o novo contrato do seu maior jogador e, por isso, terá de liberá-lo para continuar a carreira em um outro time.

Mas, independente do que aconteça daqui para frente, é inegável que o camisa 10 argentino sempre fará parte da história da equipe culé. Afinal, boa parte do que de melhor aconteceu no Camp Nou e nos outros estádios da Espanha e do resto da Europa neste começo de século leva a assinatura de Leo.

O "Blog do Rafael Reis" relembra abaixo sete momentos marcantes da passagem de Messi pelo Barcelona. Eles não são necessariamente os melhores ou os mais impressionantes, mas têm lugar em qualquer "highlights" da carreira do astro.

DE GÊNIO PARA GÊNIO

Foi no dia 1º de maio de 2005 que Messi balançou as redes pela primeira vez como profissional. Ele já tinha seis partidas disputadas pelo Barcelona quando foi lançado, aos 43 minutos do segundo tempo, para participar do finalzinho do jogo contra o Albacete, pelo Campeonato Espanhol. Três minutos depois, recebeu um passe sensacional de Ronaldinho Gaúcho antes de concluir por cima do goleiro e anotar um golaço. O que quase ninguém sabia é que ali começava a passagem de bastão do posto de maior artista do futebol mundial no século 21.

O HERDEIRO DE MARADONA

Em 2007, Messi já era uma grande aposta, um daqueles garotos que todo mundo parava para ver e apontava como futuro candidato ao prêmio de melhor do mundo. Só que pouca gente ousava dizer que ele entraria para o Olimpo de Pelé, Maradona e cia. Faltava uma obra prima digna desse clube. E ela veio no dia 18 de abril, contra o Getafe, na Copa do Rei. Messi recriou o gol de Maradona contra a Inglaterra na Copa do Mundo-1986: partiu do meio-campo, enfileirou os adversários um a um e fez o gol que mais tarde seria eleito o mais bonito da história do Barcelona.

UMA PULGA GIGANTE

Messi cabeceia para marcar gol do Barcelona em jogo contra o Manchester United, na final da Liga dos Campeões 2008/2009 - Ettore Ferrari/EFE - Ettore Ferrari/EFE
Imagem: Ettore Ferrari/EFE

Messi tem só um 1,70 m. Por motivos óbvios, ganhar dos zagueiros adversários em disputas aéreas nunca foi seu ponto forte. Mas quis o destino que o primeiro gol do astro em uma final de Champions nascesse de uma incomum cabeçada. Foi aproveitando um cruzamento e se esticando todo para meter o coco na bola que Messi pôs números finais à vitória por 2 a 0 do Barcelona sobre o Manchester United (de Cristiano Ronaldo), na decisão continental de 2008/09, e, de quebra, garantiu sua inédita eleição de melhor do planeta.

O BERNABÉU A SEUS PÉS

A primeira temporada da histórica parceira de Messi com Pep Guardiola, que alavancou o Barcelona ao posto de melhor time do mundo e o argentino ao de entidade quase divina, foi marcado por uma partida emblemática. Em 2 de maio de 2009, os catalães golearam seu arquirrival, o Real Madrid, por 6 a 2 dentro do Santiago Bernabéu. Abastecido por um iluminado Xavi Hernández, Messi só não fez chover na casa inimiga e deixou o campo com dois gols e uma assistência.

5 X MESSI

Messi não é o maior artilheiro da história da Liga dos Campeões. Mas é o único jogador que conseguiu marcar cinco vezes em uma única partida de mata-mata do torneio interclubes mais importante do planeta. O recorde foi batido em 7 de março de 2012. Endiabrado como jamais havia estado antes, o camisa 10 fez a defesa do Bayer Leverkusen sofrer no 7 a 1 aplicado na segunda perna das oitavas de final da competição. Detalhe importante: no jogo de ida (vitória por 3 a 1), ele já havia deixado um golzinho.

A FOTO MAIS CONHECIDA

Messi comemora o gol que deu a vitória do Barça contra o Real Madrid - Reuters - Reuters
Imagem: Reuters

Qual é a primeira comemoração de gol que lhe vem à cabeça quando pensa em Messi? Não é preciso nenhuma pesquisa matemática para saber que a resposta mais comum para essa pergunta tem o argentino mostrando a camisa 10 do Barcelona para uma enfurecida torcida do Real Madrid no Bernabéu. A cena foi o resultado de um clássico épico da temporada 2016/17. O Barça ganhava a partida até os 40 minutos do segundo tempo, quando sofreu o empate. A partida parecia decidida. Mas Messi pensava diferente. Nos acréscimos, ele fez seu segundo gol no jogo (o 500º pelo Barcelona) e gravou a imagem que insiste em não sair das nossas retinas.

O DIA EM QUE MESSI SUPEROU PELÉ

A última temporada de Messi no Barcelona não foi apoteótica. O time catalão se deu mal no Campeonato Espanhol e também na Liga dos Campeões. Mas, mesmo no caos que reinava no Camp Nou, o argentino conseguiu acumular mais alguns momentos históricos. O maior deles, em 22 de dezembro do ano passado. Contra o Valladolid, o argentino marcou pela 644ª vez pelo Barcelona, superou o recorde de Pelé no Santos e se tornou o jogador mais gols em partidas oficiais por um único clube na história do futebol mundial.