PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Após fiasco, Jesus sofre com cofre vazio e prisão de presidente do Benfica

As coisas não andam nada boas para Jorge Jesus no Benfica - Patricia de Melo Moreira/AFP
As coisas não andam nada boas para Jorge Jesus no Benfica Imagem: Patricia de Melo Moreira/AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

31/07/2021 04h00

Depois de receber o maior investimento em reforços da história do futebol português e não entregar dentro de campo os resultados esperados de tamanha gastança, o técnico Jorge Jesus está tendo de se acostumar a uma nova realidade no Benfica.

Em sua segunda temporada no estádio da Luz, o ex-treinador do Flamengo viu seu orçamento disponível para contratações despencar e está tendo de se contentar com contratações gratuitas ou, na melhor das hipóteses, bem baratinhas.

O elenco encarnado recebeu apenas quatro caras novas para esta temporada. Duas delas (o veterano meio-campista João Mário e o atacante brasileiro Rodrigo Pinho) não custaram nada. E apenas um investimento um pouco mais pesado foi feito: no meia Soualiho Meité, ex-Torino, que custou 6 milhões de euros (R$ 36,7 milhões).

No total, o Benfica gastou até o momento apenas 7,5 milhões de euros (R$ 46 milhões) na reconstrução do seu time tendo em vista as competições de 2021/22.

O cenário é radicalmente diferente do ano anterior. Quando Jesus foi convencido a deixar o Flamengo para retornar a Portugal, ele teve à disposição um orçamento de 105 milhões de euros (R$ 645 milhões), o maior já visto na terra de Cristiano Ronaldo.

Com tanto dinheiro em caixa, o treinador buscou alguns nomes que vinham se destacando no Brasil, como Éverton Cebolinha, Lucas Veríssimo e Gilberto, e fez algumas outras apostas pesadas, caso dos zagueiros Nicolás Otamendi e Jan Vertonghen.

Só que essa cara e estrelada equipe não deu liga. O Benfica não conseguiu sequer chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões e terminou o Campeonato Português só na terceira posição, a nove pontos do vencedor Sporting.

Com a decepção dos resultados negativos e o buraco nas costas devido aos objetivos não alcançados mesmo com investimento tão alto, o Benfica decidiu que era preciso minimizar o prejuízo... pelo menos, nas finanças.

O clube já arrecadou 35 milhões de euros (R$ 214,8 milhões) com venda de jogadores nesta janela de transferências (a maior parte, com a ida do brasileiro Pedrinho para o Shakhtar Donetsk) e ainda pode se desfazer nas próximas semanas do atacante Darwin Núñez, um dos seus destaques, que interessa a equipes inglesas.

Se a situação do Benfica já não era nada confortável, a situação piorou depois que o presidente Luis Filipe Vieira foi preso, no começo do mês, acusado de participar de um esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Tendo de resolver seus problemas na Justiça, o mandatário renunciou ao cargo, que está sendo ocupado interinamente pelo ex-jogador Rui Costa. Logo em sua primeira entrevista, o dirigente já foi questionado sobre a permanência de Jesus e assegurou que manterá o emprego do treinador.

O pontapé inicial da temporada 2021/22 do Benfica está marcado para a próxima quarta-feira. A equipe encarnada viaja à Rússia para enfrentar o Spartak Moscou por vaga na última rodada dos playoffs preliminares da Champions.

A estreia no Português acontece daqui a exatamente uma semana, no sábado, contra o Moreirense, fora. Na primeira rodada do campeonato nacional, o Sporting recebe o Vizela, enquanto o Porto joga em casa contra o Belenenses.

O Benfica no Mercado da Bola 2021/22

CHEGADAS:
Soualiho Meité (M, FRA, Torino): 6 milhões de euros
Gil Dias (LE, POR, Monaco): 1,5 milhão de euros
Rodrigo Pinho (A, BRA, Marítimo): sem custo
João Mário (M, POR, Inter de Milão): sem custo
Carlos Vinícius (A, BRA, Tottenham): volta de empréstimo
Florentino (V, POR, Monaco): volta de empréstimo
Ferro (Z, POR, Valencia): volta de empréstimo
Gedson Fernandes (M, POR, Galatasaray): volta de empréstimo
Jota (MA, POR, Valladolid): volta de empréstimo

SAÍDAS:
Pedrinho (MA, BRA, Shakhtar Donetsk): 18 milhões de euros
Nuno Tavares (LE, POR, Arsenal): 8 milhões de euros
Franco Cervi (MA, ARG, Celta): 4 milhões de euros
Caio Lucas (MA, BRA, Sharhjah): 2 milhões de euros
Filip Krovinovic (MA, CRO, Hadjuk Split): 1,5 milhões de euros
Alfa Semedo (V, GBS, Vitória de Guimarães): 1,5 milhão de euros
Jardel (Z, BRA, a definir): sem custo