PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Cristiano Ronaldo falha em formar barreira e ganha fama de ter medo da bola

Será que Cristiano Ronaldo tem medo de ficar na barreira? - Getty Images
Será que Cristiano Ronaldo tem medo de ficar na barreira? Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

24/04/2021 04h00

Cristiano Ronaldo é um dos melhores jogadores que o futebol já viu. Artilheiro máximo da história do Real Madrid e da Liga dos Campeões, o português faz quase tudo bem: conta com um porte físico impecável, é uma máquina na arte de fazer gols e tem uma impulsão de fazer inveja a atletas de vôlei e basquete. Mas, na atual temporada, os torcedores da Juventus descobriram uma deficiência crônica do astro. O veterano multicampeão de 36 anos não manda nada bem quando é escalado para fazer parte da barreira em alguma cobrança de falta adversária.

O astro cinco vezes eleito melhor do mundo foi apontado como culpado por dois gols de falta sofridos pela equipe italiana nos últimos 45 dias. E agora ficou com fama de ser aquele jogador que tem medo da bola, um tipo bastante conhecido de quem costuma bater uma bolinha com os amigos.

A primeira dessas falhas custou caro. Durante a prorrogação do segundo jogo das oitavas de final da Liga dos Campeões, contra o Porto, CR7 virou a costas para a bola e levantou uma perna na hora do tiro livre de Sérgio Oliveira. O tiro passou por baixo dele, venceu o goleiro e provocou a eliminação bianconera.

Na última quarta-feira, Ronaldo voltou a mostrar que não é muito confiável quando está na barreira. Na cobrança de Gastón Brugman, o português levantou o braço para tapar o rosto, abaixou a cabeça, ficou todo encolhido e ficou com os pés cravados no chão enquanto a bola passava por cima dele.

Menos mau que seus companheiros marcaram três vezes, compensaram o erro e fizeram a Juventus derrotar o Parma por 3 a 1, pelo Campeonato Italiano.

Contra o Parma, cobrança de falta passou por cima da cabeça de CR7 - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

"Infelizmente, essas coisas acontecem. Mas vamos analisar [o papel desempenhado por Ronaldo nas faltas defensivas] nos próximos dias", afirmou o técnico Andrea Pirlo, logo após a partida, ao ser questionado sobre a falha cometida por seu principal jogador.

O ex-treinador Fabio Capello pegou mais pesado. Hoje comentarista da Sky Sports italiana, o ex-comandante da própria Juve classificou o erro como "imperdoável".

"Na minha época, você não colocava na barreira jogadores que têm medo da bola. O movimento que vimos é de quem está morrendo de medo de ser atingido", analisou.

As críticas a Ronaldo acontecem justamente em um momento de crescimento nos rumores de que ele está insatisfeito na Itália e pode mudar de clube na próxima janela de transferências.

De acordo com a "Gazzetta dello Sport", o português está disposto em reduzir seu salário em até 11 milhões de euros (R$ 73 milhões) anuais para retornar ao Manchester United. O clube inglês pagaria ainda 29 milhões de euros (R$ 193 milhões) pelos direitos econômicos do reforço de peso.

Depois de emendar nove títulos nacionais consecutivos, a Juventus provavelmente não será campeã italiana nesta temporada. E até mesmo a classificação para a próxima edição da Champions está ameaçada.

A seis rodadas do encerramento da competição, a equipe de Turim ocupa apenas a quarta colocação, com 65 pontos. A diferença para a Inter de Milão, líder e favorita ao título, já é de 11 pontos. Em contrapartida, a diferença para o Napoli, quinto e que está sem vaga no torneio continental, é de só dois pontos.

O próximo compromisso bianconero é amanhã, contra a Fiorentina, fora de casa. E o desejo do torcedor da Juve é que, caso aconteça alguma falta próxima da sua meta, Ronaldo permaneça bem distante da barreira.