PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Dominada pelo Brasil, seleção dos sul-americanos mais caros vale R$ 4,8 bi

Casemiro é um dos volantes da seleção dos sul-americanos mais caros - Divulgação
Casemiro é um dos volantes da seleção dos sul-americanos mais caros Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

16/04/2021 04h20

Seis brasileiros, três argentinos e dois uruguaios. Essa é a configuração da seleção dos jogadores sul-americanos mais caros da atualidade, de acordo com levantamento feito pelo "Transfermarkt".

De acordo com a plataforma especializada na cobertura do Mercado da Bola, o país pentacampeão mundial conta com o goleiro (Alisson), o lateral direito (Emerson), um dos zagueiros (Marquinhos), o lateral esquerdo (Renan Lodi), um dos volantes (Casemiro) e o meia-atacante (Neymar) mais valiosos do continente.

A Argentina, por outro lado, emplacou três homens na linha de frente desse time ideal da América do Sul: Lionel Messi (Barcelona) e Paulo Dybala (Juventus) no setor de criação de jogadas e Lautaro Martínez (Inter de Milão) como "camisa 9".

Já os representantes uruguaios na equipe são o zagueiro José María Giménez, que defende o Atlético de Madri, e Federico Valverde, companheiro de Casemiro no meio-campo do Real Madrid.

Semifinalista da Liga dos Campeões pelo PSG, Neymar é o jogador sul-americano mais caro da atualidade. Segundo o "Transfermarkt", seu preço atual está na casa de 110 milhões de euros (R$ 738,4 milhões), 30 milhões de euros (R$ 201,3 milhões) a mais que o segundo colocado, Messi.

No total, os 11 titulares da seleção da Conmebol estão avaliados em 710 milhões de euros (R$ 4,8 bilhões). O preço fica bem distante do visto na equipe ideal da Europa, que vale 1,06 bilhão de euros (R$ 7,1 bilhões).

Na comparação com a temporada passada, o time dos sul-americanos mais caros do planeta também perdeu valor. No estudo realizado há exatos 12 meses, em abril de 2020, a escalação valia 740 milhões de euros (R$ 5 bilhões, na cotação atual).

Só que os jogadores são praticamente os mesmos. Nove dos integrantes da seleção de 2019/20 continuam na formação atual. Houve mudanças apenas na lateral esquerda e no comando do ataque.

No ano passado, o centroavante mais caro da América do Sul era um brasileiro, Roberto Firmino, então em alta no Liverpool. Agora, ele perdeu espaço para Lautaro, líder do Italiano com a Inter e autor de 17 gols na temporada.

No lado esquerdo do setor defensivo, houve a troca de um representante verde e amarelo por outro. Alex Sandro, atualmente reserva em boa parte dos jogos da Juventus, cedeu seu lugar para Renan Lodi, que também não vem sendo tão utilizado assim no Atlético de Madri.

Seleção dos sul-americanos mais caros do mundo

G - Alisson (BRA, Liverpool) - 65 milhões de euros
LD - Emerson (BRA, Betis) - 25 milhões de euros
Z - Marquinhos (BRA, Paris Saint-Germain) - 70 milhões de euros
Z - José María Giménez (URU, Atlético de Madri) - 60 milhões de euros
LE - Renan Lodi (BRA, Atlético de Madri) - 30 milhões de euros
MC - Casemiro (BRA, Real Madrid) - 70 milhões de euros
MC - Federico Valverde (URU, Real Madrid) - 70 milhões de euros
MAD - Lionel Messi (ARG, Barcelona) - 80 milhões de euros
MAC - Paulo Dybala (ARG, Juventus) - 60 milhões de euros
MAE - Neymar (BRA, Paris Saint-Germain) - 110 milhões de euros
A - Lautaro Martínez (ARG, Inter de Milão) - 70 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt