PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

A história do time que vai disputar duas finais do mesmo torneio em 15 dias

Athletic Bilbao vai disputar duas finais de Copa do Rei em um período de 15 dias - Efe
Athletic Bilbao vai disputar duas finais de Copa do Rei em um período de 15 dias Imagem: Efe
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

02/04/2021 04h00

O Athletic Bilbao vai a campo amanhã, contra a Real Sociedad, em jogo que vale o título da Copa do Rei. Daqui a duas semanas, no dia 17 de abril, decide novamente o torneio espanhol, mas contra o Barcelona.

Por mais estranho que pareça, as informações citadas acima não estão erradas. Elas apenas são um reflexo de como a pandemia da covid-19 bagunçou completamente o calendário internacional do futebol.

O confronto deste fim de semana decide o campeão da temporada passada da Copa do Rei. Já o que será jogado no meio do mês consagrará o vencedor da edição 2020/21 da competição que é disputada em formato de mata-mata e reúne anualmente mais de 120 times das mais variadas divisões da Espanha.

Só para aumentar a confusão, as duas finais serão realizadas exatamente no mesmo palco, o estádio La Cartuja, em Sevilha, que não é casa de nenhum dos dois maiores times da cidade (Sevilla e Betis) e costuma ser utilizado apenas em eventos especiais, como alguns jogos da seleção espanhola.

Apesar de a temporada passada do Campeonato Espanhol ter terminado ainda em julho, com apenas dois meses de atraso em relação ao cronograma inicial, a final da Copa do Rei foi adiada em quase um ano por decisão dos dois times finalistas.

Arquirrivais do País Basco, região que possui uma cultura bastante própria, tem uma longa história de oposição ao governo de Madri e vive falando em movimentos de independência, Athletic e Real Sociedad decidiram que só disputariam a final quando a pandemia estivesse controlada e ela pudesse ter presença de torcedores.

Só que a Real Federação Espanhola cansou de esperar pelo fim do fantasma da covid-19 e marcou a decisão para 3 de abril, 350 dias depois da data original (18 de abril de 2020). Os clubes, depois dessa longa espera, acataram a ideia.

Até houve uma negociação para que o governo espanhol permitisse que pelo menos profissionais de saúde já vacinados pudessem assistir in loco à partida. Mas o Ministério da Saúde não deu aval ao plano, e o confronto basco será mesmo disputado com portões fechados.

A final contra o Barça, essa sim disputada dentro do calendário normal desta temporada e na data inicialmente prevista para a Copa do Rei, também seguirá a mesma regra e terá arquibancadas vazias.

Quem pode sair consagrado desse cenário maluco de suas finais em 15 dias é o técnico do Athletic, Marcelino Toral. Afinal, ele venceu a competição com o Valencia em 2018/19 e, caso derrote Real Sociedad e Barcelona, pode emendar três títulos consecutivos.

O "bifinalista" Athletic é o segundo maior vencedor da história da Copa do Rei, o torneio profissional de futebol mais antigo da Espanha. O clube basco já levantou a taça em 23 oportunidades, a última na temporada 2014/15.

Apenas o Barcelona, 30 vezes campeão e que tem dominado o torneio nos últimos anos, possui mais troféus. Real Madrid (19), Atlético de Madri (dez) e Valencia (oito) completam o quinteto de times de maior sucesso nos 118 anos de existência da competição.