PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que Lewa lidera Chuteira de Ouro se 2º colocado tem mais gols que ele?

Lewandowski lidera a Chuteira de Ouro, mas não é quem tem mais gols - Getty Images
Lewandowski lidera a Chuteira de Ouro, mas não é quem tem mais gols Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

23/02/2021 04h20

Eleito o melhor jogador do mundo em 2020, Robert Lewandowski ocupa a liderança da Chuteira de Ouro, prêmio concedido anualmente ao artilheiro máximo dos campeonatos nacionais da Europa.

Só que o centroavante do Bayern de Munique, autor de 26 gols no Alemão, meteu uma bola na rede a menos que o segundo colocado na disputa, o dinamarquês Kasper Junker, que atua no Bodo/Glimt, da Noruega.

Mas como isso é possível? Será que a classificação que vem sendo divulgada semanalmente pela Chuteira de Ouro está errada?

Nada disso. Junker está atrás de Lewandowski porque a liga nacional onde ele atua tem um coeficiente menor que o da Bundesliga alemã. Na prática, isso significa que cada gol seu vale menos do que os do astro polonês.

O regulamento da Chuteira de Ouro divide os campeonatos nacionais europeus em três grupos. Nos cinco mais fortes (Inglês, Espanhol, Italiano, Alemão e Francês), os gols valem dois pontos. Depois, há um escalão intermediário em que cada tento equivale a 1,5 ponto. E, nas ligas mais fracas, uma bola na rede equivale a só um ponto.

Como a primeira divisão norueguesa faz parte desse segundo grupo, Junker acumulou "apenas" 40,5 pontos. Mesmo com um gol a menos que o vice-líder, Lewandowski já tem 52 e caminha livre para conquistar o prêmio pela primeira vez na carreira.

Isso porque, além da questão dos coeficientes, o segundo colocado na disputa deste ano já não é mais uma pedra no seu caminho. Como o futebol norueguês adota um calendário semelhante ao do Brasil (de janeiro a dezembro), a temporada 2020/21 já acabou no fim do ano passado.

Com isso, Junker não tem mais como fazer gols e somar pontos para ameaçar o craque número um do planeta na atualidade.

Maior vencedor da história da Chuteira de Ouro, com seis títulos, Lionel Messi desta vez está um pouco longe da disputa. O camisa 10 do Barcelona ocupa a 11ª posição, com 32 pontos, 20 a menos que Lewandowski, resultado dos 16 gols que marcou nesta temporada do Espanhol.

O Brasil não fatura a taça desde 2001/02, quando Jardel (Sporting) foi o goleador máximo da temporada europeia. O ex-centroavante do Grêmio também levantou o troféu em 1998/99. Além dele, apenas Ronaldo (1996/97) já colocou o país no lugar mais alto do pódio.

Nesta temporada, o brasileiro mais bem posicionado é o meia-atacante João Pedro, ex-Santos e Atlético-MG, que joga pelo Cagliari, da Itália. Com 11 gols e 22 pontos, ele divide a 51ª colocação com outros cinco jogadores, alguns bem conhecidos, como o alemão Ilkay Gündogan (Manchester City) e o italiano Andrea Belotti (Torino).

O "Blog do Rafael Reis" publica a cada terça-feira uma nova parcial da corrida pelo posto de artilheiro máximo do Velho Continente.

Confira a classificação da Chuteira de Ouro

1 - Robert Lewandowski (POL, Bayern de Munique) - 52 pontos (26 gols)
2 - Kasper Junker (DIN, Bodo/Glimt) - 40,5 pontos (27 gols)
3 - Amahl Pellegrino (NOR, Kristiansund) - 37,5 pontos (25 gols)
4 - André Silva (POR, Eintracht Frankfurt) - 36 pontos (18 gols)
Cristiano Ronaldo (POR, Juventus) - 36 pontos (18 gols)
6 - Paul Onachu (NIG, Genk) - 34,5 pontos (23 gols)
7 - Erling Haaland (NOR, Borussia Dortmund) - 34 pontos (17 gols)
Romelu Lukaku (BEL, Inter de Milão) - 34 pontos (17 gols)
Mohamed Salah (EGI, Liverpool) - 34 pontos (17 gols)
10 - Georgios Giakoumakis (GRE, VVV-Venlo) - 33 pontos (22 gols)