PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fora de mais de 40% das partidas, Neymar complica até "título fácil" do PSG

Neymar está machucado mais uma vez, e o desespero é do PSG - Stephane Mahe/Reuters
Neymar está machucado mais uma vez, e o desespero é do PSG Imagem: Stephane Mahe/Reuters
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/02/2021 04h00

Neymar está mais uma vez entregue ao departamento médico do Paris Saint-Germain. O craque brasileiro sofreu uma lesão na coxa direita durante a vitória por 1 a 0 sobre o Caen, na quarta-feira (10), pela Copa da França.

Devido ao novo problema físico, o camisa 10 deve desfalcar a equipe durante um mês.

Isso significa que está fora das quatro próximas rodadas do Campeonato Francês e também do primeiro confronto das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Barcelona, que será disputado na terça. Ele também virou dúvida para a partida de volta do mata-mata, marcada para 10 de março.

Não que o PSG não esteja acostumado a atuar sem seu principal astro. Afinal, desde que foi contratado pelo maior valor já pago por um jogador na história do futebol, o atacante desfalcou a equipe em mais de 45% dos seus compromissos.

Mas as ausências de Neymar têm sido cada vez mais sentidas pelo clube da capital. E, na atual temporada, elas têm ameaçado até mesmo a conquista do título que é visto como uma obrigação anual por lá.

Vencedor de sete das últimas oito edições do Campeonato Francês, o PSG ocupa apenas a terceira colocação no torneio deste ano. A diferença para o líder Lille é de três pontos e para o Lyon, de um.

A situação pode até não parecer tão crítica assim, mas destoa bastante dos resultados colhidos pelo clube ao longo das últimas temporadas. Ao olhar os números, a decadência no desempenho fica evidente.

No ano passado, mesmo com o campeonato tendo sido encerrado na 28ª rodada, o PSG fez 12 pontos a mais que o segundo colocado. Em 2018/19, a diferença final foi de 16 de pontos. E, na primeira temporada de Neymar na França, ficou em 13.

Só nas 24 rodadas realizadas até o momento nesta temporada, a equipe parisiense já perdeu para cinco adversários diferentes na Ligue 1 (Lens, Olympique de Marselha, Monaco, Lyon e Lorient). Além disso, não conseguiu emendar mais que quatro partidas consecutivas sem sofrer gols.

E não é coincidência que o Francês é justamente a competição em que Neymar mais tem se ausentado do PSG em 2020/21. O camisa 10 só foi a campo 11 vezes na Liga desde setembro e ficou fora de incríveis 13 partidas.

Foram cinco rodadas se recuperando de um problema no tornozelo, três cumprindo suspensão (duas por cartão vermelho e uma por amarelo), duas tratando uma lesão muscular, uma por causa da covid-19, outra por cansaço e mais uma porque estava retornado da seleção.

Sem engrenar devido aos vários jogos como desfalque, Neymar ocupa no momento apenas a 20ª colocação na artilharia do Francês, com seis gols (Kylian Mbappé, por exemplo, tem 16), e o 12ª lugar no ranking de assistências, com quatro passes para seus companheiros marcarem.

As ausências de Neymar

2020/21 (PSG) - Desfalque em 43,7% dos jogos (14 de 32)
2019/20 (PSG) - Desfalque em 44,9% dos jogos (22 de 49)
2018/17 (PSG) - Desfalque em 49,1% dos jogos (27 de 55)
2017/28 (PSG) - Desfalque em 47,4% dos jogos (27 de 57)
2016/17 (Barcelona) - Desfalque em 21,1% dos jogos (12 de 57)
2015/16 (Barcelona) - Desfalque em 16,6% dos jogos (10 de 60)
2014/15 (Barcelona) - Desfalque em 17,7% dos jogos (11 de 62)
2013/14 (Barcelona) - Desfalque em 13,5% dos jogos (8 de 59)