PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Janela de janeiro é a mais fraca desde 2010; conheça os reforços mais caros

Reforço do Liverpool, Ben Davies jogava na 2ª divisão inglesa e é retrato da janela de janeiro - Divulgação
Reforço do Liverpool, Ben Davies jogava na 2ª divisão inglesa e é retrato da janela de janeiro Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

02/02/2021 09h26

A janela de transferências de inverno dos principais campeonatos nacionais da Europa, como Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano e Francês, já fechou. Mas, na prática, é quase como se ela nunca tivesse sido aberta.

Impactado pelos efeitos econômicos da pandemia da Covid-19, o Mercado da Bola de janeiro praticamente não existiu e registrou a menor movimentação financeira das últimas 11 temporadas.

De acordo com o site "Transfermarkt", especializado na cobertura das compras e empréstimos de jogadores, os clubes do planeta inteiro investiram um total de 501 milhões de euros (R$ 3,3 bilhões) na chegada de reforços neste início de ano.

Desde 2010, o valor movimentado pela janela de janeiro não era tão baixo. No ano passado, o mercado de inverno (verão, no Hemisfério Sul) havia feito girar 1,4 bilhão de euros (R$ 9,1 bilhões), quase o triplo da quantia registrada agora.

Com pouco dinheiro na mesa, a maioria dos negócios fechados no primeiro mercado de 2021 foi feito com base em trocas, empréstimos ou liberações gratuitas de jogadores que não estavam sendo utilizados.

O meia alemão Mesut Özil, por exemplo, deixou o Arsenal, mas o clube inglês não recebeu um centavo com a ida dele para o Fenerbahce, da Turquia.

Já o Liverpool, que perdeu seus principais zagueiros para o departamento médico, até descolou novos defensores, só que sem comprometer as finanças. Os ingleses pegaram o turco Ozan Kabak emprestado do Schalke 04 e contrataram um jogador que estava na segunda divisão inglesa, Ben Davies, que defendia o Preston North End.

Com tanta cautela, apenas cinco negócios fechados em janeiro romperam a barreira dos 20 milhões de euros (R$ 129,9 milhões) e nenhum deles sequer se aproximou dos 30 milhões de euros (R$ 194,9 milhões).

O reforço mais caro de 2021 é o argelino Saïd Benrahma, contratado pelo West Ham do Brentford, também da segundona da Inglaterra, por 23,1 milhões de euros (R$ 150,3 milhões). Na verdade, o jogador já estava no elenco do clube londrino, mas só por empréstimo até o fim da temporada.

Vale lembrar que, oficialmente, o futebol brasileiro não participou da janela de janeiro... pelo menos, não como comprador. Como as competições de 2020 invadiram o calendário deste ano, o período de inscrição de reforços vindos do exterior também acabou sendo adiado.

Assim, as equipes do país pentacampeão mundial só poderão registrar jogadores que estavam atuando em outros países a partir do dia 1º de março. Esse período de contratações vai até o dia 23 de maio.

Os reforços mais caros da janela de janeiro

1 - Saïd Benrahma (ALG, West Ham) - 23,1 milhões de euros
2 - Sébastien Haller (FRA, Ajax) - 22,5 milhões de euros
3 - Amad Diallo (CMA, Manchester United) - 21 milhões de euros
4 - Dominik Szoboszlai (HUN, RB Leipzig) - 20 milhões de euros
Krépin Diatta (SEN, Monaco) - 20 milhões de euros
6 - Nicolò Rovella (ITA, Genoa) - 18 milhões de euros
7 - Paulinho (POR, Sporting) - 16 milhões de euros
8 - Morgan Sanson (FRA, Aston Villa) - 15,8 milhões de euros
9 - Pedro (BRA, Flamengo) - 14 milhões de euros
10 - Dennis Man (ROM, Parma) - 13 milhões de euros
TOTAL: 501 milhões de euros

Os brasileiros mais caros

1 - Pedro (Flamengo-BRA) - 14 milhões de euros
2 - Lucas Veríssimo (Benfica-POR) - 6,5 milhões de euros
3 - Yuri César (Shabab-EAU) - 4,9 milhões de euros
4 - Luan Peres (Santos) - 3 milhões de euros
5 - Erik (Changchun Yatai-CHN) - 2,5 milhões de euros
Lincoln (Vissel Kobe-JAP) - 2,5 milhões de euros
Pablo (Lokomotiv Moscou-RUS) - 2,5 milhões de euros
8 - Thiago (Shimizu S-Pulse-JAP) - 2 milhões de euros
9 - Diego Lopes (Lion City Sailors-SIN) - 1,8 milhão de euros
10 - Diego Pituca (Kashima Antlers-JAP) - 1,3 milhão de euros

Os clubes que mais gastaram

1 - West Ham (ING) - 26,4 milhões de euros
2 - Ajax (HOL) - 22,5 milhões de euros
3 - Manchester United (ING) - 21 milhões de euros
4 - Monaco (FRA) - 20 milhões de euros
RB Leipzig (ALE) - 20 milhões de euros
6 - Genoa (ITA) - 18 milhões de euros
Juventus (ITA) - 18 milhões de euros
8 - Sporting (POR) - 16 milhões de euros
9 - Aston Villa (ING) - 15,8 milhões de euros
10 - Parma (ITA) - 14,9 milhões de euros

Os clubes que mais venderam

1 - Juventus (ITA) - 28,5 milhões de euros
2 - Atalanta (ITA) - 26,5 milhões de euros
3 - Brugge (BEL) - 26,2 milhões de euros
4 - Olympique de Marselha (FRA) - 23,8 milhões de euros
5 - West Ham (ING) - 22,6 milhões de euros
6 - RB Salzburg (ALE) - 20 milhões de euros
7 - Genoa (ITA) - 19,5 milhões de euros
8 - Braga (POR) - 16 milhões de euros
9 - Fiorentina (ITA) - 15 milhões de euros
10 - FCSB (ROM) - 13,3 milhões de euros

As ligas que mais investiram

1 - Campeonato Inglês - 85,6 milhões de euros
2 - Campeonato Italiano - 77,7 milhões de euros
3 - Campeonato Alemão - 48,4 milhões de euros
4 - Campeonato Português - 31 milhões de euros
5 - Campeonato Francês - 29 milhões de euros
6 - Campeonato Holandês - 24,5 milhões de euros
7 - Campeonato Turco - 23,8 milhões de euros
8 - Campeonato Espanhol - 21,2 milhões de euros
9 - Major League Soccer - 20,3 milhões de euros
10 - Campeonato Chinês - 19,3 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt