PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Os 10 maiores artilheiros brasileiros da história da Libertadores

Luizão é o goleador máximo do Brasil na Libertadores; ele defendeu Palmeiras e Santos - Pedro Ugarte/AFP
Luizão é o goleador máximo do Brasil na Libertadores; ele defendeu Palmeiras e Santos Imagem: Pedro Ugarte/AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

28/01/2021 04h20

Palmeiras e Santos, que decidem neste sábado a Libertadores 2020, no Maracanã, têm muitas coisas em comum. Uma delas, ambos os clubes já tiveram o maior artilheiro brasileiro da competição vestindo suas camisas.

Luizão, que marcou 29 vezes no torneio interclubes mais importante do futebol sul-americano entre as décadas de 1990 e 2000, foi campeão paulista pelo Palmeiras, em 1996, e teve uma passagem de pouco brilho pelo Santos, em 2005.

Curiosamente, nenhum dos seus gols na Libertadores foi anotado enquanto defendia essas equipes. Eles foram distribuídos entre quatro clubes, todos do próprio país: Corinthians, Vasco, São Paulo e Grêmio.

O segundo colocado nesse ranking de goleadores brasileiros no torneio é Palhinha, astro do Cruzeiro nos anos 1960 e 1970, que fez 25 gols. O ex-atacante Célio Taveira, que jogou no Vasco e no Corinthians, mas cuja carreira foi marcada pelos anos em que defendeu o Nacional (URU), completa o pódio, com 22 gols.

Nenhum dos jogadores inscritos na Libertadores 2020 faz parte do top 10 dos artilheiros brasileiros na competição. Dos representantes do futebol pentacampeão mundial que foram a campo nesta edição, os que mais gols fizeram até hoje no primeiro escalão da América do Sul foram os flamenguistas Bruno Henrique e Gabigol, com 12 tentos cada.

Mas dois gringos que defenderam o Internacional ao longo do ano têm números mais expressivos. O peruano Paolo Guerrero já anotou 17 gols na competição. O argentino Andrés D'Alessandro, por sua vez, balançou as redes em 15 oportunidades.

Dentre os jogadores que devem disputar a final, o recordista de gols na Libertadores é o palmeirense Willian, que marcou 11 vezes na competição vestindo as camisas do Cruzeiro e do time alviverde.

Já pelo lado do Santos, ninguém fez mais gols que o jovem atacante Kaio Jorge, cinco, todos anotados neste ano. Na verdade, dois atletas do elenco de Cuca têm números mais expressivos no torneio, mas ambos não poderão ser escalados na decisão.

O atacante colombiano Jonathan Copete já fez oito gols em Libertadores, só que está inelegível até a abertura da janela de transferências internacionais no Brasil porque foi emprestado em 2020 ao Everton, do Chile. Já o meia uruguaio Carlos Sánchez, autor de seis tentos na história da copa, recupera-se de uma grave contusão no joelho e está parado desde setembro.

O maior goleador da história da Libertadores é o equatoriano Alberto Spencer, que marcou 54 gols por Peñarol e Barcelona de Guayaquil entre 1960 e 1972. Ele, aliás, foi o goleador máximo das duas primeiras edições da competição.

O pódio tem outros dois uruguaios: Fernando Morena, com 37 gols, e Pedro Rocha, que defendeu São Paulo, Coritiba, Palmeiras e Bangu aqui no Brasil, que meteu uma bola a menos nas redes.

A final deste sábado será a terceira entre dois times brasileiros. Em 2005, na primeira vez que isso aconteceu, o São Paulo derrotou o Athletico-PR. No ano seguinte, os paulistas alcançaram novamente a decisão, mas foram batidos pelo Inter.

O vencedor da Libertadores 2020 não terá tempo para descanso e precisará viajar quase que imediatamente para o Qatar. Afinal, o Mundial de Clubes da Fifa começa em 4 de fevereiro, e Palmeiras ou Santos estreiam no dia 8, contra o vencedor do confronto entre o mexicano Tigres e o sul-coreano Ulsan Hyundai.

Os brasileiros com mais gols na história da Libertadores:

1 - Luizão (Corinthians, Vasco, São Paulo e Grêmio) - 29 gols
2 - Palhinha (Cruzeiro) - 25 gols
3 - Célio Taveira (Nacional-URU) - 22 gols
4 - Jairzinho (Botafogo e Cruzeiro) - 21 gols
5 - Guilherme (Atlético-MG, Grêmio, Cruzeiro e Vasco) - 19 gols
Ricardo Oliveira (Santos, Atlético-MG e São Paulo) - 19 gols
7 - Fred (Fluminense, Atlético-MG e Cruzeiro) - 18 gols
Marcelinho Carioca (Corinthians e Flamengo) - 18 gols
Tita (Flamengo e Grêmio) - 18 gols
10 - Pelé (Santos) - 17 gols
Robinho (Santos e Atlético-MG) - 17 gols