PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

As 10 transferências mais caras da história da janela de janeiro

Brasileiro Philippe Coutinho é o jogador mais caro da história da janela de janeiro - Albert Gea/Reuters
Brasileiro Philippe Coutinho é o jogador mais caro da história da janela de janeiro Imagem: Albert Gea/Reuters
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

08/01/2021 04h20

Não é à toa que a torcida do Barcelona cobra tanto de Philippe Coutinho.

O meio-campista, que não consegue se firmar na equipe espanhola e até já foi emprestado ao Bayern de Munique para tentar recuperar seu melhor futebol, é simplesmente a contratação mais cara da história das janelas de transferência de janeiro.

Para ter o brasileiro, o clube catalão desembolsou 160 milhões de euros (R$ 1 bilhão, na cotação atual) logo nos primeiros dias de 2018. O valor equivale a quase o dobro da segunda maior transação já registrada no começo de um ano.

Essa marca pertence ao zagueiro holandês Virgil van Dijk, contratado pelo Liverpool na mesma época por 84 milhões de euros (R$ 550,1 milhões). Também em 2018, o zagueiro francês Aymeric Laporte desembarcou no Manchester City por 65 milhões de euros (R$ 425,6 milhões). O negócio fecha o pódio histórico das janelas de janeiro.

O Mercado da Bola do inverno europeu tradicionalmente movimenta menos grana que o de verão (junho a agosto) porque os clubes importantes costumam utilizá-lo apenas para ajustes de elencos ou contratações desesperadas por quem anda despencando pelas tabelas.

É por isso que sobra espaço para que duas contratações feitas por equipes chinesas (ambas de jogadores brasileiros) apareçam no top 10 global da janela de janeiro: Oscar, do Shanghai SIPG, ocupa a sétima posição e Alex Teixeira, do Jiangsu Suning, fecha a lista.

O reforço mais recente que tem lugar no alto do ranking é o português Bruno Fernandes. Contratado pelo Manchester United em janeiro passado, ele ocupa a nona posição, com 55,5 milhões de euros (R$ 363,5 milhões).

Devido às perdas econômicas provocadas pela pandemia da Covid-19, os negócios registrados neste começo de ano ainda não chegam nem perto dos valores praticados em janelas anteriores de janeiro.

A ida do meia-atacante marfinense Amad Diallo para o Manchester United, que movimentou 21 milhões de euros (R$ 137 milhões) e é a transação mais cara de 2021 até o momento, ocupa apenas a 69ª colocação no ranking histórico do mês.

A primeira janela de transferências de 2021 ficará aberta até o dia 1º de fevereiro nos cinco campeonatos nacionais mais importantes da Europa na atualidade: Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França.

No Brasil, onde, por conta da pandemia, a temporada 2020 invadiu os primeiros meses de 2021, esse tradicional período de compras foi adiado em dois meses. Os clubes do futebol nacional podem trazer reforços do exterior entre 1º de março e 23 de maio.

Os 10 reforços mais caros da história da janela de janeiro

1 - Philippe Coutinho (BRA, 2018, Barcelona) - 160 milhões de euros
2 - Virgil van Dijk (HOL, 2018, Liverpool) - 84 milhões de euros
3 - Aymeric Laporte (FRA, 2018, Manchester City) - 65 milhões de euros
4 - Christian Pulisic (EUA, 2019, Chelsea) - 64 milhões de euros
5 - Pierre-Emerick Aubameyang (GAB, 2018, Arsenal) - 63,8 milhões de euros
6 - Diego Costa (ESP, 2018, Atlético de Madri) - 60 milhões de euros
Oscar (BRA, 2017, Shanghai SIPG) - 60 milhões de euros
8 - Fernando Torres (ESP, 2011, Chelsea) - 58,5 milhões de euros
9 - Bruno Fernandes (POR, 2020, Manchester United) - 55,5 milhões de euros
10 - Alex Teixeira (BRA, 2016, Jiangsu Suning) - 50 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt