PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Real Madrid faz ousado plano para ter seleção com Mbappé e Haaland em 2021

Mbappé, em ação pela seleção francesa; em 2021, ele pode vestir o branco do Real Madrid - Linnea Rheborg/Getty Images
Mbappé, em ação pela seleção francesa; em 2021, ele pode vestir o branco do Real Madrid Imagem: Linnea Rheborg/Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

05/10/2020 04h00

O Real Madrid, um dos clubes mais ricos do mundo e que nas últimas décadas não viu problema em investir verdadeiras fortunas para ter estrelas como Ronaldo, Cristiano Ronaldo, Luís Figo, Gareth Bale e Eden Hazard, chegou ao último dia da janela de transferências da temporada 2020/2021 sem gastar um mísero tostão.

Mas engana-se quem pensa que o atual campeão espanhol está "quebrado" e deve encerrar pela primeira vez neste século uma edição do Mercado da Bola sem contratar nenhum reforço por falta de dinheiro em caixa.

A "seca" do Real nesta janela tem um outro motivo: planejamento. Basicamente, o clube decidiu economizar agora para tentar construir uma verdadeira seleção na próxima temporada.

O presidente Florentino Pérez e sua diretoria perceberam que seus três principais desejos (Kylian Mbappé, Erling Haaland e Eduardo Camavinga) seriam alvos inviáveis neste momento e que contratá-los em 2021 seria uma tarefa bem menos complicada.

Por isso, optou por concentrar dinheiro e esforços nessas transações que só poderão ser fechadas daqui a nove meses a gastar com reforços pontuais que não mudariam muito o nível do elenco comandado por Zinédine Zidane.

A prioridade número um do Real é a contratação de Mbappé. O negócio, praticamente impossível de ser fechado neste momento (afinal, imagine quanto ele custaria), vai ganhar um facilitador bem interessante no próximo ano.

Como o contrato do camisa 7 vai até 2022, a janela do início da temporada 2020/2021 será a última em que a equipe parisiense poderá faturar algum dinheiro com o jogador. Caso se negue a negociá-lo, há o risco real de ele ir embora no ano seguinte sem nenhum pagamento de indenização.

Para piorar a situação do PSG, segundo o jornal inglês "Times", Mbappé já avisou a diretoria que não assinará um novo acordo porque pretende deixar a França na próxima temporada. Com isso, seu preço deve despencar e ficar bem mais acessível ao Real (mas também aos outros interessados).

O caso de Camavinga, volante de 17 anos que já estreou pela seleção francesa, é bastante semelhante. O garoto está na penúltima temporada de contrato com o Rennes e, a menos que assine um novo vínculo, custará bem menos na próxima janela do que na atual.

Já a situação de Haaland é um pouco diferente. Quando foi contratado pelo Borussia Dortmund, o centroavante acertou um contrato com cláusula de rescisão de 75 milhões de euros (R$ 500 milhões), uma mixaria para um jogador do seu nível.

No entanto, essa cláusula só pode ser ativada depois do encerramento da temporada 2020/2021. Até lá, o clube alemão tem o direito de dizer não para qualquer proposta que receber pelo artilheiro. Mas, a partir do meio do ano que vem, basta pagar a multa e levar o fenômeno norueguês embora.

Enquanto não monta seu time dos sonhos, o Real aproveitou esta janela para começar a limpar o terreno (e também sua folha salarial) para a chegada de novas estrelas.

O meia James Rodríguez e o atacante Gareth Bale, antes donos de dois dos maiores salários do elenco, foram liberados para assinar com Everton e Tottenham, respectivamente. O colombiano saiu de graça mesmo, enquanto o galês foi emprestado com opção de compra para os ingleses.

O Real está no Grupo B da Liga dos Campeões da Europa e terá Shakhtar Donetsk, Inter de Milão e Borussia Mönchengladbach como adversários nessa etapa da competição. A estreia é contra os ucranianos, no dia 21 deste mês.

Quanto o Real Madrid gastou em reforços

Temporada 2020/2021 - 0
Temporada 2019/2020 - 352,5 milhões de euros
Temporada 2018/2019 - 162,7 milhões de euros
Temporada 2017/2018 - 40,5 milhões de euros
Temporada 2016/2017 - 30 milhões de euros
Temporada 2015/2016 - 92,5 milhões de euros
Temporada 2014/2015 - 126 milhões de euros
Temporada 2013/2014 - 175,5 milhões de euros
Temporada 2012/2013 - 38,5 milhões de euros
Temporada 2011/2012 - 55 milhões de euros
Temporada 2010/2011 - 93 milhões de euros
Temporada 2009/2010 - 258,5 milhões de euros
Temporada 2008/2009 - 82,2 milhões de euros
Temporada 2007/2008 - 118 milhões de euros
Temporada 2006/2007 - 103 milhões de euros
Temporada 2005/2006 - 89,5 milhões de euros
Temporada 2004/2005 - 58,7 milhões de euros
Temporada 2003/2004 - 37,5 milhões de euros
Temporada 2002/2003 - 45 milhões de euros
Temporada 2001/2002 - 77,5 milhões de euros
Temporada 2000/2001 - 119,2 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt