PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

7 times que bateram o recorde de reforço mais caro da história nesta janela

Havertz é o reforço mais caro desta janela e também de toda a história do Chelsea - Getty Images
Havertz é o reforço mais caro desta janela e também de toda a história do Chelsea Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

02/10/2020 04h20

A janela de transferências da temporada 2020/21 foi fortemente prejudicada pela crise econômica decorrente da pandemia do coronavírus. Por causa dos prejuízos causados pela proliferação da Covid-19, como campeonatos interrompidos por longos meses e estádios fechados para a presença de torcedores, os clubes ficaram sem muito dinheiro em caixa para investir na chegada de reforços.

Mas houve exceções. Algumas poucas equipes do primeiro escalão da Europa driblaram as dificuldades financeiras e conseguiram igualar ou até mesmos superar os seus recordes particulares de reforços mais caros de todos os tempos.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete clubes que não economizaram nesta edição do Mercado da Bola e realizaram nos últimos meses as maiores (e mais custosas) contratações de suas histórias.

CHELSEA (ING)
Kai Havertz (ALE) - 80 milhões de euros

O jogador mais caro do planeta nesta janela de transferências é também o novo número 1 no ranking dos maiores reforços da equipe inglesa. Na verdade, Havertz divide esse posto com o goleiro espanhol Kepa Arrizabalaga, contratado duas temporadas atrás. Mas, ao contrário do arqueiro, que errou demais, caiu em desgraça com a torcida e foi parar no banco de reservas, o garoto alemão criado no Bayer Leverkusen tem honrado os R$ 530 milhões investidos nele. Nos primeiros quatro jogos pelo Chelsea, Havertz já participou ativamente de quatro gols: três foram marcados por ele e outro nasceu de uma assistência sua.

NAPOLI (ITA)
Victor Osimhen (NIG) - 70 milhões de euros

Osimhen - AP Photo - AP Photo
Imagem: AP Photo

A chegada do atacante nigeriano que brilhou com a camisa do Lille na temporada passada representa um marco na história do Napoli. Afinal, o clube nunca havia nem chegado perto da marca de 70 milhões de euros (R$ 463,4 milhões) pagos por um único jogador. Antes de Osimhen, o reforço mais caro da equipe italiana em todos os tempos era o argentino Gonzalo Higuaín, que custou 39 milhões de euros (R$ 258,2 milhões, na cotação atual), lá em 2013. O novo camisa 9 do Napoli ainda não começou a justificar o investimento. Apesar de o clube ter marcado oito vezes nas duas primeiras rodadas do Campeonato Italiano, ele não balançou as redes até o momento.

WOLVERHAMPTON (ING)
Fábio Silva (POR) - 40 milhões de euros

Fábio Silva - Gualter Fatia/Getty Images - Gualter Fatia/Getty Images
Imagem: Gualter Fatia/Getty Images

A chegada do adolescente português à Premier League inglesa talvez tenha sido a maior ousadia desta janela de transferências. Isso porque o Wolverhampton topou pagar 40 milhões de euros (R$ 264,8 milhões), o maior valor de sua história e uma grana violenta para o padrão pós-pandemia do Mercado da Bola, por um atacante que só tinha 21 partidas e três gols como profissional antes da negociação. Mas a ideia dos Wolves é mesmo preparar Fábio Silva para o futuro, tanto que ele tem ficado no banco no Inglês e só entrado nos minutos finais das partidas neste início de temporada.

LILLE (FRA)
Jonathan David (CAN) - 32 milhões de euros

Jonathan David - ANP Sport/ANP Sport via Getty Images - ANP Sport/ANP Sport via Getty Images
Imagem: ANP Sport/ANP Sport via Getty Images

A equipe francesa aproveitou a fortuna que recebeu do Napoli por Osimhen para também realizar a contratação mais cara de sua história. E gastou 32 milhões de euros (R$ 211,8 milhões) com uma aposta arriscada. Jonathan David tem só 20 anos, cresceu em um país de pouca tradição no futebol (Canadá) e jamais foi testado em uma liga de primeira grandeza na Europa. Mas o Lille se empolgou com os 23 gols anotados pelo meia-atacante pelo Gent, da Bélgica, na temporada passada, e resolveu pagar (caro) para ver.

ASTON VILLA (ING)
Ollie Watkins (ING) - 30,8 milhões de euros

Watkins - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Depois de escapar por pouco do rebaixamento para a segunda divisão da Inglaterra na temporada passada, o Aston Villa resolveu melhorar seu poderio ofensivo justamente com um dos artilheiros da última edição da Championship, a "Série B" do país que inventou o futebol. Contratado do Brentford, Watkins virou o reforço mais caro da história do clube de Birmingham e, curiosamente, herdou a posição de titular do antigo detentor do recorde, o atacante brasileiro Wesley, que custou 25 milhões de euros (R$ 165,5 milhões) no ano passado.

LEEDS UNITED (ING)
Rodrigo (ESP) - 30 milhões de euros

Rodrigo - REUTERS/Hannah McKay/File Photo - REUTERS/Hannah McKay/File Photo
Imagem: REUTERS/Hannah McKay/File Photo

De volta à primeira divisão inglesa, o time dirigido por Marcelo Bielsa não economizou para se reforçar com um jogador que já esteve na mira do Barcelona e disputou a última Copa do Mundo pela seleção espanhola. Rodrigo, que até a temporada passada defendia o Valencia, custou 30 milhões de euros (R$ 198,6 milhões), um valor relativamente baixo para um jogador da sua categoria e de tanta experiência. O badalado reforço tem entrado aos poucos no time e só permaneceu em campo durante os 90 minutos em uma partida da Copa da Liga.

BENFICA (POR)
Darwin Núñez (URU) - 24 milhões de euros

Darwin Núñez - Silvestre Szpylma/Quality Sport Images/Getty Images - Silvestre Szpylma/Quality Sport Images/Getty Images
Imagem: Silvestre Szpylma/Quality Sport Images/Getty Images

Para tirar o técnico Jorge Jesus do Flamengo e levá-lo de volta a Portugal, o Benfica prometeu que gastaria como nunca antes na história. E cumpriu aquilo que foi combinado. Contratou apostas do futebol brasileiro, como Éverton Cebolinha, Pedrinho e Gilberto, e zagueiros experimentados em alguns dos times mais poderosos do mundo, como Nicolás Otamendi (ex-Manchester City) e Jan Vertonghen (ex-Tottenham). Mas o reforço mais caro (desta e de todas as temporadas anteriores) foi adquirido na segunda divisão espanhola: o atacante uruguaio Darwin Núnez, apelidado de "novo Cavani" no Almería e que marcou 16 vezes em 2019/20.