PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Craque na base, ex-Vasco vira realidade na Europa e vive sonho na Champions

Evander em ação pelo Midtjylland, que está a um jogo da fase de grupos da Champions - Divulgação
Evander em ação pelo Midtjylland, que está a um jogo da fase de grupos da Champions Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

30/09/2020 04h00

O que esperar da carreira de um jogador que vestiu a camisa 10 da seleção brasileira em Copas do Mundo de base? Talvez que ele siga os passos de jogadores como Alex, Júlio Baptista e Philippe Coutinho, que atuaram em clubes importantes do exterior e tiveram pelo menos alguns momentos de brilho nas competições mais importantes do planeta.

Pois o meia-atacante Evander, que vestiu o número de Pelé no Mundial sub-17 de 2015, no Chile, está a apenas uma vitória de subir um degrau decisivo nesta escada de sucesso internacional.

Caso o Midtjylland derrote o Slavia Praga, hoje, em casa, pelos playoffs preliminares da Liga dos Campeões da Europa, o jogador revelado pelo Vasco terá a oportunidade de disputar pela primeira vez na carreira a fase de grupos da competição interclubes mais importante do planeta e de medir forças com os Messis, Cristianos Ronaldo e Neymares da vida.

"É um sonho para mim e para todo o elenco. A gente está a um jogo de fazer história e colocar o time pela primeira vez na fase de grupos. Estamos muito ansiosos para isso. E espero que possa acontecer", afirmou, por telefone, ao Blog do Rafael Reis.

O brasileiro também veste a camisa 10 na equipe dinamarquesa, que empatou por 0 a 0 o confronto de ida, na República Tcheca, e é hoje um dos principais jogadores do futebol do norte da Europa.

Em dois anos defendendo o Midtjylland, Evander já acumula dois títulos (uma copa e um campeonato nacional) e números bem satisfatórios: 19 gols e 14 assistências ao longo de 68 partidas.

O bom futebol já colocou o brasileiro na mira de times bem mais expressivos do que aqueles que atuam na Dinamarca. Porto, Valencia e Atlético de Madri foram algumas das equipes que, de acordo com diferentes veículos de imprensa, cogitaram contratá-lo nesta janela de transferências.

Mas se, aos 22 anos, Evander agora parece próximo de começar a cumprir o que se espera de um camisa 10 da seleção brasileira, o início de sua trajetória no futebol profissional não indicava que ele seguiria esse caminho.

Promovido pelo Vasco em 2016, o meia-atacante até teve alguns momentos de brilho e chegou a marcar dois gols em uma partida das fases preliminares da Libertadores-2018, contra o Universidad de Concepción. No entanto, o garoto também sofreu com críticas pesadas da torcida e não conseguiu se firmar como titular.

O empréstimo (e depois transferência em definitivo) para a Dinamarca foi uma forma de, ainda muito jovem, resetar a carreira, ter mais minutos em campo e se transformar em "adulto" longe dos holofotes que o acompanhavam desde a adolescência.

"Eu diria que a adaptação até que foi rápida. Eu não estava jogando muito no Vasco e fui emprestado por seis meses. Então, tive que vir e fazer meu papel. Não pude deixar nada atrapalhar."

E o sucesso no Midtjylland faz Evander sonhar alto. Depois de conseguir (assim ele espera) a classificação para Champions, o meia-atacante quer dar os outros passos de um camisa 10 de seleções de base: transferir-se para um clube mais importante e também defender o time adulto do Brasil.

"Só tenho 22 anos e uma carreira toda pela frente. Se eu não pensar nisso, é melhor parar de jogar futebol", completa.

As partidas de hoje encerram as fases preliminares da Liga dos Campeões, que estão rolando desde meados de agosto, e definem os últimos três clubes que participarão da etapa de grupos da competição continental.

As oito chaves serão sorteadas amanhã. E os 32 clubes na briga pelo título europeu da temporada começarão a medir forças a partir do dia 20 de outubro (mais de um mês depois do calendário tradicional, alterado por causa da pandemia da Covid-19).

Se não acontecer nenhuma nova alteração no cronograma, o sucessor do Bayern de Munique no posto de melhor time do Velho Continente será conhecido em 29 de maio do próximo ano. A decisão será jogada no estádio Olímpico Atatürk, em Istambul (Turquia), que originalmente seria o palco da final da temporada passada.