PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Baixas: 7 destaques da Libertadores que foram embora durante a quarentena

Multicampeão com o Flamengo no ano passado, Rafinha agora joga na Grécia - Allan Carvalho/AGIF
Multicampeão com o Flamengo no ano passado, Rafinha agora joga na Grécia Imagem: Allan Carvalho/AGIF
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

14/09/2020 04h00

Seis meses depois de ser paralisada em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Libertadores será retomada amanhã com a disputa de quatro partidas: Colo-Colo x Peñarol, Jorge Wilstermann x Athletico-PR, Santos x Olimpia e Binacional x LDU.

O longo período de inatividade provocou danos nos elencos dos times que brigam para ser o melhor do futebol sul-americano em 2020. Afinal, alguns dos principais nomes que disputaram a competição foram negociados ou tiveram seus contratos rescindidos.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete destaques da Libertadores que não voltaram da quarentena e estão fora da sequência do torneio.

Vale lembrar que a pandemia adiou todo o calendário da competição, que só será encerrada depois da virada do ano. O sucessor do Flamengo como campeão da América do Sul será conhecido em janeiro. O placo da final, no entanto, continua o mesmo: o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

RAFINHA
Lateral direito
Brasileiro
35 anos
Ex-Flamengo (BRA)

Vencedor da Liga dos Campeões da Europa pelo Bayern de Munique em 2013 e da Libertadores do ano passado pelo Flamengo, o lateral direito se mandou de volta para a o Velho Continente, onde passou a maior parte da carreira, pouco depois do técnico Jorge Jesus ir embora do Rio de Janeiro para comandar o Benfica. Apesar de até ter tido um rumor de que ele poderia ser levado pelo treinador português para Lisboa, Rafinha acabou se transferindo mesmo para a Grécia. Seu novo time é o Olympiacos, que está a um playoff de conseguir vaga na fase de grupos da Champions.

DUDU
Atacante
Brasileiro
28 anos
Ex-Palmeiras (BRA)

Dudu - Daniel Vorley/AGIF - Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Depois de cinco anos recusando seguidas propostas para trocar o Palmeiras pelo exterior, Dudu, enfim, cedeu. Destaque do time alviverde nas conquistas de dois Campeonatos Brasileiros (2016 e 2018) e uma Copa do Brasil (2015), o atacante aceitou ser emprestado por um para o Al-Duhail, do Qatar. O negócio, que movimentou 7 milhões de euros (R$ 44 milhões), foi fechado mais ou menos na mesma época em que sua ex-esposa, Mallu Ohana, registrou um boletim de ocorrência contra o jogador, acusando-o de tê-la agredido. O caso está correndo na Justiça.

ÉVERTON CEBOLINHA
Atacante
Brasileiro
24 anos
Ex-Grêmio (BRA)

Cebolinha - Pedro H. Tesch/AGIF - Pedro H. Tesch/AGIF
Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Assim como aconteceu com Dudu, passou mais tempo atuando no futebol sul-americano do que a maioria das pessoas imaginava. Apesar de ser um dos destaques do Grêmio há duas temporadas e do protagonismo que assumiu com a camisa da seleção brasileira na Copa América-2019, Cebolinha só deixou o Rio Grande do Sul no mês passado. Mesmo com várias sondagens vindas da Inglaterra nas últimas temporadas, Éverton irá estrear na Europa jogando no futebol português. O atacante foi um dos vários brasileiros indicados por Jorge Jesus ao Benfica e acabou contratado por 20 milhões de euros (R$ 126 milhões).

ANTONY
Atacante
Brasileiro
20 anos
Ex-São Paulo (BRA)

O jovem foi negociado pelo São Paulo com o Ajax ainda em fevereiro, ou seja, antes da pandemia afetar o andamento do futebol sul-americano. Só que o clube paulista acreditava que poderia contar com o atacante pelo menos durante toda a fase de grupos da Libertadores, já que a transferência só seria realmente efetuada no meio do ano. Mas, com o atraso do calendário, Antony só defendeu o São Paulo em dois dos compromissos válidos pelo Grupo D do torneio continental e virou um problema para as pretensões do clube do Morumbi de ir longe na competição.

ANTONIO VALENCIA
Lateral direito
Equatoriano
35 anos
Ex-LDU (EQU)

Valencia - Rodrigo Valle/Getty Images - Rodrigo Valle/Getty Images
Imagem: Rodrigo Valle/Getty Images

Com dez anos dedicados ao Manchester United e mais de 320 partidas da Premier League inglesa no currículo, o equatoriano era um dos jogadores de maior bagagem internacional na Libertadores-2020. Só que a LDU, adversária do São Paulo no Grupo D da competição, afundou-se em problemas econômicos durante a quarentena e optou por dispensar Valencia para aliviar um pouco sua folha salarial. Desde então, o astro está em busca de uma nova equipe para defender. Mas, pelo menos por enquanto, é mais um pesado desfalque para o torneio continental.

EMMANUEL ADEBAYOR
Atacante
Togolês
36 anos
Ex-Olimpia (PAR)

Adebayor - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Uma das atrações mais pitorescas desta edição da Libertadores, o ex-atacante de Real Madrid, Manchester City, Tottenham e Arsenal teve vida curta no futebol sul-americano. Anunciado com pompa pelo Olimpia em fevereiro, Adebayor entrou em conflito com o clube logo no início da quarentena, quando deixou o Paraguai sem consentimento da diretoria para ficar com a família na África. No começo de julho, após apenas quatro partidas e nenhum gol pelo time alvinegro, teve o contrato rescindido. Pela Libertadores, o tologês só disputou duas partidas... e conseguiu ser expulso em uma delas.

EMANUEL REYNOSO
Meia
Argentino
24 anos
Ex-Boca Juniors (ARG)

Reynoso - Divulgação/Site oficial do Boca Juniors - Divulgação/Site oficial do Boca Juniors
Imagem: Divulgação/Site oficial do Boca Juniors

Apesar de não ser titular absoluto do Boca Juniors, participava de praticamente todas as partidas da equipe argentina graças à polivalência de ser um jogador que pode ser aproveitado em diferentes funções do meio-campo e da eficiência com que costuma cumprir cada uma delas. Reynoso, aliás, até fez gol nesta Libertadores, na vitória por 3 a 0 sobre o Independiente Medellín, em março. No mês passado, seu nome chegou a ser apontado como possível reforço do Atlético-MG. Mas os norte-americanos do Minnesota United lavaram a melhor nesta disputa e pagaram 4,3 milhões de euros (R$ 27,1 milhões) para fazer do argentino o camisa 10 da franquia que disputa a MLS (Major League Soccer).