PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Campeonato Inglês movimenta R$ 5,2 bi em reforços; veja os 10 mais caros

Timo Werner (Chelsea) é uma das novas estrelas do Campeonato Inglês - Getty Images
Timo Werner (Chelsea) é uma das novas estrelas do Campeonato Inglês Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/09/2020 04h20

Depois de passar as duas últimas janelas de transferência proibido de contratar como punição por ter aliciado jogadores menores de 18 anos, o Chelsea resolveu ir à forra na montagem do seu elenco para a temporada 2020/21.

O clube londrino é, disparado, aquele que mais investiu em reforços para a nova edição do Campeonato Inglês, que começa hoje com a disputa de quatro partidas.

Graças ao dinheiro economizado nas últimas janelas, a equipe do magnata russo Roman Abramovich conseguiu driblar a crise econômica pós-pandemia e gastou 223,2 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão) na reconstrução do seu time.

O valor é semelhante à soma do que os outros cinco integrantes do "Big Six" da Inglaterra (Manchester United, Manchester City, Liverpool, Arsenal e Tottenham) investiram em reforços para 2020/21.

Sozinho, o Chelsea é responsável por mais de 25% de todo o dinheiro torrado pelos 20 clubes da elite inglesa nesta temporada do Mercado da Bola. O gasto acumulado pela Premier League com contratações nesta janela é de 828,6 milhões de euros (R$ 5,2 bilhões), bem distante do 1,6 bilhão de euros (R$ 10 bilhões) da temporada passada.

Os três reforços mais caros da nova edição do campeonato nacional mais rico e badalado do mundo vestem azul: os alemães Kai Haverz (ex-Bayer Leverkusen) e Timo Werner (ex-RB Leipzig), além do lateral esquerdo Ben Chilwell (ex-Leicester).

Os "Blues" ainda contrataram o meia-atacante marroquino Hakim Ziyech (ex-Ajax), o zagueiro brasileiro Thiago Silva, que ficou sem contrato com o Paris Saint-Germain, e o jovem defensor francês Malang Sarr.

Além do Chelsea, City, Wolverhampton, United, Tottenham, Aston Villa e Leeds United também aparecem no top 10 dos reforços mais caros da temporada.

Devido ao atraso no calendário por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19), a janela de transferências na Inglaterra foi prorrogada até o próximo mês. Os clubes do país poderão contratar até o dia 16 de outubro, quando já terão sido disputadas as quatro primeiras rodadas da competição.

A rodada de abertura da nova temporada do Inglês contará com a realização de apenas oito jogos. Os compromissos de Manchester City e Manchester United foram adiados devido à participação desses clubes na reta final de competições continentais (Liga dos Campeões e Liga Europa), no mês passado.

Assim como nos últimos tempos, os direitos de transmissão no Brasil pertencem ao Grupo Disney. As partidas serão divididas entre as diferentes plataformas da empresa (canais ESPN, Fox Sports e streamings), além da DAZN.

A competição teve quatro campeões diferentes nos últimos cinco anos. Na temporada passada, o Liverpool encerrou um jejum de 30 anos e levantou pela primeira vez na história o troféu da Premier League -só havia conquistado o título antes da fase moderna do torneio

OS 10 REFORÇOS MAIS CAROS DA TEMPORADA NA INGLATERRA

1 - Kai Havertz (MA, ALE, Chelsea) - 80 milhões de euros
2 - Timo Werner (A, ALE, Chelsea) - 53 milhões de euros
3 - Ben Chilwell (LE, ING, Chelsea) - 50,2 milhões de euros
4 - Nathan Aké (Z, HOL, Manchester City) - 45,3 milhões de euros
5 - Fábio Silva (A, POR, Wolverhampton) - 40 milhões de euros
Hakim Ziyech (MA, MAR, Chelsea) - 40 milhões de euros
7 - Donny van de Beek (M, HOL, Manchester United) - 39 milhões de euros
8 - Giovani Lo Celso (M, ARG, Tottenham) - 32 milhões de euros
9 - Ollie Watkins (A, ING, Aston Villa) - 30,8 milhões de euros
10 - Rodrigo (A, ESP, Leeds United) - 30 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt