PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Mercado da Bola já movimentou R$ 11,8 bi; conheça os 10 reforços mais caros

Leroy Sané, durante apresentação ao Bayern de Munique - Divulgação
Leroy Sané, durante apresentação ao Bayern de Munique Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

19/08/2020 04h20

Os olhos do futebol mundial estão todos voltados para Portugal, que recebe até domingo a reta final da Liga dos Campeões. E até os clubes que não estão na briga pelo título europeu parecem mais preocupados com o desfecho da Champions do que com a busca de reforços para os seus elencos.

Brincadeiras à parte, a janela de transferências da temporada 2020/2021 vai caminhando a passos de tartaruga. Prejudicada pelos efeitos econômicos da pandemia do coronavírus (Covid-19), ela movimentou até o momento apenas 1,8 bilhão de euros (R$ 11,8 bilhões) em todo o planeta.

Na última semana, a soma de todas as compras de direitos econômicos e empréstimos de jogadores mal chegou a 200 mil euros (R$ 1,3 bilhão). Afinal, nenhum negócio de grande impacto global foi fechado.

Por isso, o top 10 de maiores transações desta janela continua o mesmo de sete dias atrás. O ranking é liderado pelo meia brasileiro Arthur, contratado do Barcelona pela Juventus por 72 milhões de euros (R$ 472,3 milhões) - ainda que a maior parte desse valor tenha sido pago com um outro jogador, o bósnio Miralem Pjanic.

Por outro lado, na lista dos brasileiros mais caros negociados neste meio de ano houve espaço para duas novidades.

Everton Cebolinha trocou o Grêmio pelo Benfica, em um negócio de 20 milhões de euros (R$ 131,2 milhões), o segundo maior de um representante do país nesta janela. Já o meia-atacante Matheus Pereira, que atua na Europa desde a adolescência, teve seus direitos comprados pelo West Bromwich, da Inglaterra, por 9,1 milhões de euros (R$ 59,7 milhões) e aparece agora na sexta posição.

No ano passado, o Mercado da Bola de junho/julho/agosto foi o maior da história do futebol e movimentou cerca de 7 bilhões de euros (R$ 45,9 bilhões, na cotação atual).

Esse valor dificilmente será alcançado neste ano devido aos efeitos econômicos provocados pela Covid-19. Também devido à proliferação do vírus, os períodos para negócios também tiveram suas datas alteradas.

Ao contrário do que normalmente ocorre nos países do primeiro escalão da Europa, a janela de transferências desta vez não será fechada no fim de agosto. Inglaterra e França permitirão o registro de novos jogadores até meados de setembro. Já Alemanha, Itália, Portugal e Espanha estenderam os prazos para transações por um mês mais, até outubro.

Os 10 reforços mais caros da janela

1 - Arthur (BRA, Juventus) - 72 milhões de euros
2 - Victor Osimhen (NIG, Napoli) - 70 milhões de euros
3 - Miralem Pjanic (BOS, Barcelona) - 60 milhões de euros
4 - Álvaro Morata (ESP, Atlético de Madri) - 56 milhões de euros
5 - Timo Werner (ALE, Chelsea) - 53 milhões de euros
6 - Mauro Icardi (ARG, Paris Saint-Germain) - 50 milhões de euros
7 - Nathan Aké (HOL, Manchester City) - 45,3 milhões de euros
8 - Leroy Sané (ALE, Bayern de Munique) - 45 milhões de euros
9 - Achraf Hakimi (MAR, Inter de Milão) - 40 milhões de euros
Hakim Ziyech (MAR, Chelsea) - 40 milhões de euros
TOTAL DA JANELA: 1,8 bilhão de euros

Os 10 brasileiros mais caros da janela

1 - Arthur (Juventus) - 72 milhões de euros
2 - Everton Cebolinha (Benfica) - 20 milhões
Pedrinho (Benfica) - 20 milhões de euros
4 - Antony (Ajax) - 15,8 milhões de euros
5 - Matheus Pereira (West Bromwich) - 9,1 milhões de euros
6 - Matheus Pereira (Barcelona B) - 8 milhões de euros
Robson Bambu (Nice) - 8 milhões de euros
8 - Dudu (Al-Duhail) - 7 milhões de euros
9 - Yan Couto (Manchester City) - 6 milhões de euros
10 - Gustavo Maia (Barcelona B) - 4,5 milhões de euros
Hernani (Parma) - 4,5 milhões de euros

Os 10 clubes que mais gastaram

1 - Barcelona (ESP) - 96 milhões de euros
2 - Chelsea (ING) - 93 milhões de euros
3 - Juventus (ITA) - 82,5 milhões de euros
4 - Manchester City (ING) - 78,8 milhões de euros
5 - Napoli (ITA) - 70 milhões de euros
6 - Inter de Milão (ITA) - 65 milhões de euros
7 - Benfica (POR) - 60 milhões de euros
8 - Atlético de Madri (ESP) - 56 milhões de euros
9 - Borussia Dortmund (ALE) - 51,5 milhões de euros
10 - Paris Saint-Germain (FRA) - 50 milhões de euros

Os 10 clubes que mais venderam

1 - Barcelona (ESP) - 93 milhões de euros
2 - Juventus (ITA) - 86 milhões de euros
3 - Inter de Milão (ITA) - 79,9 milhões de euros
4 - Chelsea (ING) - 74 milhões de euros
Napoli (ITA) - 74 milhões de euros
6 - Lille (FRA) - 73 milhões de euros
7 - RB Leipzig (ALE) - 54,5 milhões de euros
8 - Bournemouth (ING) - 45,3 milhões de euros
9 - Manchester City (ING) - 45 milhões de euros
10 - Ajax (HOL) - 41 milhões de euros

Os 10 campeonatos mais gastões

1 - Campeonato Italiano - 469,1 milhões de euros
2 - Campeonato Inglês - 288,1 milhões de euros
3 - Campeonato Francês - 245,9 milhões de euros
4 -Campeonato Espanhol - 233,7 milhões de euros
5 - Campeonato Alemão - 149 milhões de euros
6 - Campeonato Português - 67 milhões de euros
7 - Campeonato Russo - 62,5 milhões de euros
8 - Campeonato Inglês (2ª divisão) - 49 milhões de euros
9 - Campeonato Belga - 41,5 milhões de euros
10 - Campeonato Holandês - 31,2 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt