PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Aos 38, Ibrahimovic "renasce" no pós-quarentena e pode voltar à Inglaterra

Ibrahimovic comemora gol do Milan sobre a Lazio pelo Italiano - Alberto Lingria/Reuters
Ibrahimovic comemora gol do Milan sobre a Lazio pelo Italiano Imagem: Alberto Lingria/Reuters
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

23/07/2020 04h00

Zlatan Ibrahimovic já tem 38 anos e estava "escondido" no futebol dos Estados Unidos até a virada do ano. Mas, desde que retornou da quarentena por causa do novo coronavírus (Covid-19), parece um garoto vivendo o auge das formas física e técnica.

O astro sueco é o principal responsável pela recuperação do Milan no Campeonato Italiano. Desde o retorno do futebol no país, o time rossonero não perdeu mais. Foram sete vitórias e dois empates nas nove últimas rodadas da competição.

O veterano atacante participou de sete dessas partidas e produziu nada menos do que sete gols. Quatro foram marcados por ele mesmo, e três nasceram de assistências suas para outros companheiros.

E esse "renascimento" de Ibra no primeiro escalão do futebol europeu já está mudando as perspectivas para a sequência de sua carreira.

Contratado pelo Milan até o fim da temporada, o centroavante tinha como melhores possibilidades para o futuro a aposentadoria, um retorno à Suécia ou a exploração de mercados alternativos, como China, Japão ou mesmo Brasil.

Mas, com o sucesso no pós-quarentena, o astro pode até mesmo voltar ao campeonato nacional mais rico e badalado do planeta.

Recém-promovido para a primeira divisão inglesa, Leeds United, que é dirigido pelo argentino Marcelo Bielsa, sonha ter Ibrahimovic no seu comando de ataque. O primeiro contato aconteceu em janeiro, quando a equipe ainda estava na segundona. Com o acesso do clube e a boa fase do camisa 21, as conversas podem ser retomadas.

E não é só o faro de gols do artilheiro sueco que anda apurado. A língua, como sempre, também está afiadíssima.

"Se eu tivesse chegado aí Milan no início do campeonato, a gente venceria o Scudetto", afirmou o veterano, em entrevista à DAZN Itália, no começo do mês.

Apesar da marra característica, Ibra não foi tão bem assim nos seus primeiros dias da segunda passagem pelo gigante do Calcio. Nos primeiros oito jogos depois da volta ao Milan, ele participou de só três gols.

Ou seja, foi só mesmo após a retomada do futebol pós-pandemia que ele decolou. E levou o time dos brasileiros Léo Duarte e Lucas Paquetá junto com ele.

Com os resultados obtidos ao longo dos últimos 30 dias, o Milan saltou da nona para a sexta colocação no Italiano, ingressou na zona de classificação para a Liga Europa e garantiu a renovação do técnico Stefano Pioli.

Como está dez pontos atrás da Lazio, quarta colocada, a equipe rossonera já não tem mais chances de conseguir vaga na Liga dos Campeões e terá de se contentar com a "competição B" do continente.

Ibrahimovic e o Milan voltam a campo amanhã (24), quando recebem a Atalanta, vice-líder e sensação da temporada. Na próxima semana, encerram a temporada com jogos contra Sampdoria e Cagliari.