PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Tevez trava renovação, fica livre e pode antecipar retorno ao Corinthians

Autor do gol do título argentino, Tevez pode estar de saída do Boca Juniors - Alejandro Pagni/AFP
Autor do gol do título argentino, Tevez pode estar de saída do Boca Juniors Imagem: Alejandro Pagni/AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

01/07/2020 04h00

Após ter revelado na semana passada o desejo de jogar novamente no Corinthians, o atacante argentino Carlos Tévez está livre para antecipar esse projeto e retornar ao futebol brasileiro já nesta temporada.

O contrato do veterano de 36 anos com o Boca Juniors chegou ao fim ontem (30). E as conversas para a assinatura de um novo vínculo, que até dias atrás eram consideradas uma mera formalidade, transformaram-se em um grande imbróglio, com direito a ataques públicos.

O entrave original está ligado à duração do acordo. O clube gostaria de selar a permanência de Tevez por mais um ano, o que permitiria que ele disputasse pelo menos o primeiro turno da próxima edição do Campeonato Argentino, que só será retomado em 2021 devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Mas o camisa 10 não gostou muito da ideia. Seu desejo é renovar o contrato só até dezembro. Assim, ele poderia participar do restante da Libertadores (caso ela ainda seja retomada neste ano), mas não jogaria mais a Superliga argentina.

O que realmente irritou a diretoria do Boca é que Tevez não comunicou essa decisão apenas para quem manda no futebol do clube. Ele tornou pública essa sua vontade ao expressá-la em entrevista à rádio argentina "La Red AM 910", na última sexta-feira.

Foi durante essa conversa com jornalistas que o atacante revelou que vestiria a camisa xeneize apenas até dezembro e depois decidiria prorrogaria a carreira para jogar mais meses no Corinthians ou no West Ham ou se optaria pela aposentadoria e daria adeus ao futebol.

Também nessa entrevista, o jogador afirmou que não estava interessado no dinheiro do Boca e que doaria o valor de todos os salários dessa possível extensão contratual para entidades sem fins lucrativos.

As declarações desagradaram o diretor-técnico do Boca, Jorge Bermúdez. O ex-zagueiro colombiano postou em suas redes sociais que "não se pode aceitar o oportunismo político [de jogadores] e que se minta para torcedores e associados que amam o clube".

Apesar de ter passado a maior parte da última temporada no banco de reservas, Tevez ainda foi importante na conquista do título argentino. O veterano marcou nove vezes ao longo da campanha e foi o autor do gol que decidiu o campeonato (vitória por 1 a 0 sobre o Gimnasia La Plata, no dia 8 de março).

O atacante passou pelo Corinthians ainda no início da carreira. Ele foi contratado em 2005, quando tinha 20 anos, caiu nas graças da torcida, foi campeão brasileiro, acabou eleito o melhor jogador da competição e, no ano seguinte, foi negociado com o West Ham.

A aventura europeia de Tevez também incluiu passagens por outros dois clubes da Inglaterra (Manchester United e Manchester City), além de duas temporadas atuando pela Juventus. Ele retornou ao Boca em 2015, depois ainda jogou na China (Shanghai Shenhua) e voltou novamente ao clube onde foi revelado.

Com a seleção argentina, o atacante foi medalhista de ouro dos Jogos Olímpicos de Atenas de 2004, acumulou três vice-campeonatos da Copa América e disputou as Copas de 2006 e 2010. Sua última convocação foi em 2015, logo no início das eliminatórias para o Mundial da Rússia.

Rafael Reis