PUBLICIDADE
Topo

Histórico

5 brasileiros que gigantes ingleses contrataram e ninguém entendeu por que

Alexandre Pato, durante treino no Chelsea - Divulgação
Alexandre Pato, durante treino no Chelsea Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

20/05/2020 04h00

O Brasil demorou para conseguir invadir a Inglaterra. Foi só nas duas últimas décadas que os clubes do futebol mais poderoso da atualidade começaram realmente a investir em jogadores do país mais vitorioso da história da modalidade.

Hoje em dia, nomes como Alisson, Roberto Firmino, Fernandinho e Gabriel Jesus são indiscutíveis nas equipes mais poderosas do berço do futebol. Mas nem sempre foi assim...

Até chegar no estádio atual, os clubes do primeiro escalão da Inglaterra erraram bastante a mão na contratação de brasileiros. Há alguns jogadores tupiniquins que os torcedores britânicos ainda não conseguem entender por que passaram por suas equipes de coração.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo cinco desses compatriotas de Firmino, Alisson e companhia que até entraram para a história do futebol inglês, mas apenas por terem sido reforços inexplicáveis.

ALEXANDRE PATO
Atacante
30 anos
Contratado pelo Chelsea em 2016

Em determinado momento da carreira, Pato foi jogador de nível suficiente para atuar no Chelsea. Ninguém estranharia se o clube inglês o tivesse tirado do Milan uma ou duas temporadas depois da sua chegada à Europa. Mas em 2016, quando os Blues o contrataram por empréstimo de seis meses do Corinthians, o negócio já não fazia muito sentido. É verdade que Pato vinha de uma boa temporada no São Paulo, mas ele já estava fora do mercado europeu há três anos e era completamente queimado com a torcida do clube a quem estava vinculado. A passagem do atacante por Stamford Bridge foi o fiasco imaginado. O brasileiro passou a maior parte do tempo nem sendo relacionado para o banco de reservas e disputou só duas partidas.

DONI
Ex-goleiro
39 anos
Contratado pelo Liverpool em 2011

Doni (Liverpool) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Apesar de muitos torcedores brasileiros sempre terem torcido o nariz para Doni, o ex-goleiro do Corinthians foi bem demais na Roma e mereceu ter disputado a Copa do Mundo de 2010. O que não dá para entender é por que o Liverpool fez questão de buscá-lo na Itália, um ano depois do Mundial, sendo que tinha um titular absoluto e inquestionável para a meta, o espanhol Pepe Reina. Na Inglaterra, Doni foi banco até nos jogos das copas nacionais, em que normalmente os goleiros reservas costumam atuar. Depois, sofreu um problema cardíaco, foi aconselhado a abandonar o futebol e voltou para o Brasil.

GLÁUBER
Ex-zagueiro
36 anos
Contratado pelo Manchester City em 2008

Glauber (Manchester City) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

O ex-zagueiro do Palmeiras chegou ao City na mesma janela de transferências de Robinho, a primeira depois que o clube foi comprado por um fundo de investimentos de Abu Dhabi e se tornou um dos "novos ricos" do futebol europeu. Mas, ao contrário do atacante, que antes defendia o Real Madrid e era um dos astros da seleção, Gláuber havia acabado de ser rebaixado para a segunda divisão da Alemanha pelo Nuremberg. O jogador ficou só uma temporada na Inglaterra, tempo suficiente para cair nas graças dos torcedores dos Citizens por ser um reserva que nunca era aproveitado - jogou seis minutos de uma única partida.

MINEIRO
Ex-volante
44 anos
Contratado pelo Chelsea em 2008

Mineiro (Chelsea) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O ídolo do São Paulo já tinha 33 anos, não era mais convocado para a seleção brasileira e estava desempregado há quase dois meses (desde a saída do Hertha Berlim) quando o Chelsea o contratou. O jogador foi um pedido pessoal do técnico Luiz Felipe Scolari, que o colocou para jogar em apenas duas partidas (uma do Campeonato Inglês e outra da Copa da Liga). Depois que Felipão caiu, a situação de Mineiro piorou, e ele nunca mais sequer foi relacionado para o banco. No fim da temporada, o brasileiro foi liberado para buscar um outro clube.

RODRIGO POSSEBON
Volante
31 anos
Contratado pelo Manchester United em 2008

Rodrigo Possebon (Manchester United) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Não é raro que os clubes do primeiro escalão da Europa venham ao Brasil e contratem jogadores que ainda estão "escondidos" nas categorias de base dos times tupiniquins. Mas é difícil entender por que o Manchester United apostou tanto em Rodrigo Possebon. Em 2008, o volante de 18 anos não era o principal nome das equipes menores do Internacional e nem tinha uma carreira de destaque nas seleções inferiores. Mesmo assim, os Red Devils pagaram para ver, levaram-no para a Inglaterra e trataram de logo lançá-lo no time principal. A experiência de Possebon no United durou só nove partidas. Depois, ele voltou ao Brasil, jogou (pouco) no Santos e até se aventurou no Vietnã.