PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


5 negócios que podem não acontecer por causa da pandemia de coronavírus

Icardi lamenta durante partida entre PSG e Dijon pelo Campeonato Francês - Philippe DESMAZES / AFP)
Icardi lamenta durante partida entre PSG e Dijon pelo Campeonato Francês Imagem: Philippe DESMAZES / AFP)
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

26/04/2020 04h00

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) transformou radicalmente o mercado da bola para a temporada 2020/21 do futebol.

Para começar, a próxima janela de transferências não será aberta no começo de julho e encerrada no fim de agosto, como de costume. Além disso, graças ao cenário de retração econômica provocado pela proliferação do vírus, os valores pagos pelas transferências certamente ficarão bem aquém dos vistos nos últimos anos.

Esse cenário também vai mudar o destino de alguns jogadores. Transferências que até dois meses atrás eram dadas como certas, agora vão subir no telhado. Outros negócios ditos como prováveis também vão acabar melando.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo cinco jogadores de clubes importantes do cenário internacional que devem ter o rumo de suas carreiras impactados pelos desdobramentos do coronavírus.

MAURO ICARDI
Atacante
27 anos
Argentino
Paris Saint-Germain (FRA)

Até o início da pandemia, a permanência do centroavante argentino para a próxima temporada era vista como uma certeza pelo PSG. Afinal, os 70 milhões de euros (R$ 423,5 milhões) exigidos pela Inter de Milão para transformar o empréstimo do argentino em uma venda dos seus direitos econômicos eram considerados um preço bastante honesto por um jogador do nível de Icardi. Mas, no cenário pós-coronavírus, esses 70 milhões de euros passaram a ser um investimento bem mais significativo, o que fez os franceses recuarem. Ainda existe a possibilidade de Icardi continuar no PSG, mas só se a Inter topar renegociar o preço da transferência.

THIAGO SILVA
Zagueiro
35 anos
Brasileiro
Paris Saint-Germain (FRA)

Outro jogador importante do PSG que pode ter tido seu destino alterado pela covid-19 é o ex-capitão da seleção brasileira. Thiago Silva cumpre atualmente o último ano do seu contrato com a equipe francesa e provavelmente teria de buscar um novo time para defender na próxima temporada, já que a diretoria parisiense pretendia contratar um novo zagueiro para rejuvenescer o setor. Mas, de acordo com o jornal espanhol "As", a diminuição de receitas provocada pela pandemia, fez o PSG adiar a ideia de ir ao mercado atrás de um defensor, o que abre a porta para a renovação do vínculo do veterano brasileiro.

JADON SANCHO
Meia-atacante
20 anos
Inglês
Borussia Dortmund (ALE)

O garoto inglês seria a bola da vez da próxima janela de transferências. Um dos jogadores que mais distribuem assistências no futebol europeu (19, só nesta temporada), Sancho estava na mira de praticamente todos os clubes do primeiro escalão do Velho Continente e certamente protagonizaria uma transferência que romperia a barreira dos 100 milhões de euros (R$ 605 milhões). Mas, com a perspectiva de que pouco dinheiro será colocado no Mercado da Bola nos próximos meses, o Dortmund pensa em segurar seu craque por mais um ano para vendê-lo por um valor mais alto em 2021 e até ofereceu um aumento de salário a Sancho para convencê-lo a adiar a transação.

DANI CEBALLOS
Meia
23 anos
Espanhol
Arsenal (ING)

Emprestado pelo Real Madrid, o meio-campista espanhol tem tido uma temporada bem razoável no Arsenal, que cogitava comprar seus direitos econômicos na próxima janela de transferências. Com a crise econômica provocada pela covid-19, o clube londrino mudou a proposta e agora quer apenas estender o empréstimo do jogador por mais 12 meses. Mas esse tipo de proposta não interessa ao Real. Por isso, Ceballos já declarou que irá voltar ao Real assim que 2019/20 chegar ao fim.

CARLES ALEÑÁ
Meia
22 anos
Espanhol
Betis (ESP)

A intenção do Barcelona ao emprestar Aleñá para o Betis, no último mês de janeiro, era dar ritmo de jogo e mais experiência ao garoto para ter de volta um jogador mais pronto a partir da próxima temporada. Só que a crise econômica gerada pela pandemia fez o clube catalão mudar de ideia. O Barça quer tirar o atacante argentino Lautaro Martínez da Inter de Milão, mas está difícil levantar o dinheiro para a transferência. Uma das possíveis soluções é colocar Aleñá no negócio, como moeda de troca, para diminuir o valor que terá de ser pago aos italianos.

Rafael Reis