PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Com pandemia, ex-Palmeiras pode passar sem jogar por clube de Ronaldo

Matheus Fernandes posa ao lado de Ronaldo após ser emprestado para o Valladolid - Reprodução/Instagram
Matheus Fernandes posa ao lado de Ronaldo após ser emprestado para o Valladolid Imagem: Reprodução/Instagram
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

04/04/2020 04h00

Classificação e Jogos

Negociado pelo Palmeiras com o Barcelona na última janela de transferências e imediatamente emprestado ao Valladolid, o volante brasileiro Matheus Fernandes corre o risco de nem chegar a entrar em campo pelo clube que tem Ronaldo Fenômeno como acionista majoritário.

Devido a problemas burocráticos, o jogador de 21 anos não pôde atuar pela equipe da parte de baixo da tabela do Campeonato Espanhol antes de a competição ser paralisada em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Como seu empréstimo ao Valladolid termina no dia 30 de junho e existe a possibilidade de a atual temporada nem ser retomada, dependendo da evolução da doença, é possível que Matheus Fernandes retorne ao Barcelona sem ter jogado sequer um minuto por sua primeira equipe na Europa.

De acordo com o jornal "Sport", o clube de Ronaldo pretende sugerir ao Barça a renovação da cessão do brasileiro, o que permitiria sua permanência na equipe castelhana até o fim da temporada 2020/2-21.

O Valladolid aposta que a equipe catalã não terá nenhuma vaga para jogadores extracomunitários na próxima temporada, o que a obrigará a encontrar um outro time para Matheus Fernandes, já que o volante não possui passaporte europeu.

Formado nas categorias de base do Botafogo, Matheus Fernandes passou apenas um ano no Palmeiras, onde passou a maior parte do tempo como opção no banco de reservas.

A transação com o Barcelona foi fechada em 31 de janeiro, último dia da janela de transferências do inverno europeu, e movimentou 7 milhões de euros (cerca de R$ 40,2 milhões, na cotação atual).

Emprestado ao Valladolid para se adaptar ao futebol europeu, o volante esbarrou em questões de legislação. Seu visto de trabalho na Espanha não foi liberado, o que o obrigou a voltar ao Brasil para resolver pendências - no começo do mês passado, Matheus Fernandes ainda treinava no Palmeiras para manter a forma.

Nesse meio tempo, o coronavírus saiu do controle, virou um problema global, ganhou status de pandemia, interrompeu a maior parte das competições de futebol do planeta e impediu a estreia do brasileiro.

O Campeonato Espanhol foi paralisado depois da 27ª rodada, disputada entre os dias 6 e 8 do mês passado. Na ocasião, o Valladolid ocupava a 15ª colocação, com 29 pontos, quatro a mais que o Mallorca, que abria a zona de rebaixamento.

Assim como praticamente todas as outras competições interrompidas em virtude da proliferação da covid-19, La Liga ainda não tem data para voltar. Estima-se que o plano dos clubes é retomar o torneio em dois meses.

De acordo com o jornal "Marca", se o Espanhol não retornar até o dia 27 de junho, a tendência é que a temporada seja encerrada. Nesse cenário, o Barcelona, líder da competição, pode ser declarado campeão. Outra opção é que o título não fique com nenhum clube.

A pandemia de coronavírus começou mais ou menos na virada do ano e já se espalhou por todos os continentes. Até ontem, a OMS confirmava mais de 970 mil casos da doença em mais de 180 países. Os mortos superavam a casa dos 50 mil.

Rafael Reis