PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Conheça os jogadores e o dirigente de futebol que já pegaram coronavírus

Daniele Rugani, zagueiro da Juventus, foi infectado pelo coronavírus - Alberto Gandolfo/Pacific Press/LightRocket via Getty Images
Daniele Rugani, zagueiro da Juventus, foi infectado pelo coronavírus Imagem: Alberto Gandolfo/Pacific Press/LightRocket via Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/03/2020 04h00

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) virou o mundo do futebol de cabeça para baixo. Alguns campeonatos importantes, como o Italiano, estão paralisados. Outros, casos do Espanhol e do Francês, adotaram jogos sem presença de torcedores. E a maioria ainda sabe como (e se) a atual temporada chegará ao fim.

A preocupação não é para menos. Além do pânico global causado pela proliferação da doença, o coronavírus já cruzou os portões do esporte mais popular do planeta.

Dentre as mais de 118 mil infecções já confirmadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) em todos os cantos do mundo, há algumas que envolvem pessoas diretamente ligadas ao futebol, como dirigentes e jogadores.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo os casos mais conhecidos de figuras do futebol que foram contaminadas pelo covid-19 e também mostra que até estrelas do primeiro escalão da modalidade passaram por suspeitas de infecção.

DANIELE RUGANI

Com o anúncio feito já na noite de quarta-feira, o zagueiro da Juventus se tornou o primeiro jogador de um time do primeiro escalão do cenário europeu a contrair o vírus. Rugani tem 25 anos e, de vez em quando, aparece nas convocações da seleção italiana. Segundo o clube bianconero, o defensor não apresenta nenhum sintoma da covid-19. No entanto, já foi separado do restante do elenco para diminuir a possibilidade de a infecção se espalhar por outros atletas da Velha Senhora.

EVANGELOS MARINAKIS

O milionário grego, que possui uma empresa de transporte marítimo e canais de televisão, é dono de dois clubes de futebol: Olympiacos, no seu país-natal, e Nottingham Forest, que disputa a segunda divisão inglesa. O magnata anunciou na última terça-feira que está com covid-19. Sua contaminação provocou o adiamento do clássico entre Arsenal e Manchester City, que seria realizado ontem (11). O motivo da suspensão da partida é que jogadores do clube londrino se encontraram com o dirigente há duas semanas e poderiam estar portando o vírus.

TIMO HÜBERS

Fabian Bimmer / Reuters
Imagem: Fabian Bimmer / Reuters

O zagueiro alemão de 23 anos, que atua no Hannover 96, foi o primeiro caso confirmado de jogador profissional de futebol infectado com o novo coronavírus. O anúncio foi feito ontem por sua equipe, que disputa a segundona germânica. De acordo com os médicos do Hannover, Hübers está assintomático, não teve contato com nenhum outro integrante do elenco desde a infecção e provavelmente foi contaminado pelo vírus no último fim de semana, quando foi à sua cidade natal e se encontrou com um doente.

KING UDOH

Divulgação/Juventus FC
Imagem: Divulgação/Juventus FC

Antes do anúncio da infecção de Hübers, o futebol italiano já havia divulgado, ainda no fim do mês passado, que King Udoh estava doente. O atacante nigeriano de 22 anos foi revelado nas categorias de base da Juventus e atua no Pianese, da terceira divisão do Calcio, que é semiprofissional. O jogador chegou a ser internado e depois entrou em quarentena domiciliar. Devido ao caso de Udoh, a Juve afastou seus atletas do time sub-23 dos treinos da equipe principal, já que eles haviam enfrentando o Pianese dias antes da confirmação da doença.

SUSPEITOS/DESCARTADOS

LOIC VENANCE / AFP
Imagem: LOIC VENANCE / AFP

Além dos casos já confirmados de coronavírus, outros jogadores, técnicos e dirigentes de futebol também tiveram suspeitas de contaminação. O mais famoso deles foi o atacante Kylian Mbappé, astro do Paris Saint-Germain e campeão mundial com a França na Copa de 2018, que perdeu dois treinos no início desta semana devido a um resfriado e, segundo a emissora de TV TF1, passou por um exame que descartou a infecção por covid-19. O ex-meia Christian Poulsen, que defendeu o Liverpool e a seleção dinamarquesa, também passou um susto. Ele e outros dois integrantes da comissão técnica do Ajax precisaram entrar em quarentena depois de irem ao aniversário de Thomas Kahlenberg, ex-jogador da Dinamarca que realmente estava infectado.

Rafael Reis