PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Neymar pode ser o melhor do mundo, mas o coronavírus tem que deixar

Neymar comemora com Marquinhos o gol que abriu caminho para classificação do PSG - Getty Images
Neymar comemora com Marquinhos o gol que abriu caminho para classificação do PSG Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

11/03/2020 19h18

Classificação e Jogos

Pela primeira vez desde que desembarcou na França, há três anos, Neymar está nas quartas de final da Liga dos Campeões. E, para melhorar, a presença do Paris Saint-Germain entre os oito melhores times da Europa na temporada é responsabilidade direta dele.

O camisa 10 foi o homem que decidiu o mata-mata contra o Borussia Dortmund. No primeiro jogo, fez o gol que manteve em alta as chances de sua equipe, apesar da derrota por 2 a 1. Hoje, marcou aos 28 min da etapa inicial, contagiou a torcida que se aglutinou do lado de fora do Parc-des-Princes e abriu caminho para a sobrevida parisiense na Champions.

Para melhorar sua situação, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo ainda correm risco de ficarem nas oitavas do torneio continental e não têm jogado um futebol tão brilhante assim.

A bem da verdade, ainda não pintou nesta temporada aquele candidato que parece estar acima de todos os outros na briga pelos prêmios de melhor do mundo. O cenário perfeito para Neymar.

Ainda que tenha mais cinco jogos pela frente até um possível título europeu, o brasileiro é sim alguém que pode terminar a temporada como o vencedor do The Best (Fifa) e também da Bola de Ouro (France Football).

A questão é se ainda haverá uma temporada 2019/20 para consagrar Neymar como o jogador número um do planeta.

A aglomeração de torcedores em volta do estádio do PSG durante a partida contra o Dortmund é só mais uma prova de que realizar jogos de futebol com portões fechados não é uma medida suficiente para conter o avanço do coronavírus.

Enquanto o covid-19 se espalha pelo mundo, o futebol vai dando um jeito de esticar sua sobrevivência, com partidas adiadas e (em tese) sem torcida. Mas, daqui a pouco não vai mais ter jeito: a bola vai ter que parar de rolar. Só não se sabe se por dias, semanas ou meses.

E, dependendo dos rumos dessa pandemia, Neymar pode acabar desperdiçando a melhor chance que já teve de alcançar o topo do mundo.

Rafael Reis